Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

De Havilland DH-88 Comet

Imagem 1

DE HAVILLAND DH-88 COMET

Quantidade: 1
Utilizador: Aeronáutica Militar
Entrada ao serviço: 1935
Data de abate: 1940



Dados Técnicos:

a.      Tipo de Aeronave

       Avião bimotor terrestre, de trem de aterragem convencional retráctil, monoplano de asa baixa, revestido a contraplacado, bilugar em tandem, de cabina com cobertura transparente, destinado a utilização desportiva. Tripulação: 1 (piloto).

b.      Construtor

        De Havilland Aircraft Comp. Ltd. / Grã-Bretanha.

c.       Motopropulsor

        Motores: 2 motores DH Gipsy Six R, de 6 cilindros em linha arrefecidos por ar, de 230 hp.
        Hélice: Metálico, de duas pás, de passo fixo.

d.      Dimensões

        Envergadura …………....13,41 m
        Comprimento …..….……..8,84 m
        Altura………….……...……3,05 m
        Área alar ……….…….….19,69 m²

e.      Pesos

        Peso vazio……………..………..1.288 kg
        Peso máximo……………...……2.413 kg

f.        Performances

        Velocidade máxima …………..381 Km/h
        Velocidade de cruzeiro …….…354 Km/h
        Tecto de serviço ……….….…5.790 m
        Raio de acção ………….…….4.707 Km

g.      Armamento

        Nenhum.

h.      Capacidade de transporte

        Nenhuma.


Imagem 2

Resumo histórico:
     Os De Havilland DH-88 Comet foram especialmente projectados para participar na corrida aérea England-Australia Race, em 1935.
     Três protótipos foram desenhados, construídos e testados em oito meses, realizando o primeiro voo em 8 de Setembro de 1934. O tipo de construção em painéis de contraplacado pré-moldados foi revolucionário para a época, técnica que depois foi aplicada na construção do famoso DH-98 Mosquito.

     O DH-88 Comet era um avião bimotor muito veloz, de custos elevados e de utilização muito específica, o que talvez explique o reduzido número de exemplares produzidos. Um dos três aviões construídos, baptizado de «Grosvenor House» e pilotado por C. Scott e Campbell Black, foi o vencedor do England-Australia Race em 1935, cobrindo os 18.100 Km do trajecto Londres - Melbourne em 70 horas e 54 minutos.
     Outro Comet, baptizado de «Black Magic», tripulado por James Mollison, bateu o recorde da ligação de Londres a Bagdade, em 1934.
     Nos feitos notáveis dos DH-88 Comet incluem-se ainda os voos Bruxelas - Leopoldville (ex-Congo Belga) - Bruxelas, em 44 horas e 40 minutos, Londres - Lisboa em 5 horas e 28 minutos e Londres - Paris em 52 minutos.
     O Governo francês adquiriu um dos DH-88 Comet para voos experimentais, tendo em vista o transporte de correio para as regiões do Atlântico Sul.
 
                                         
Percurso em Portugal:
     O único De Havilland DH-88 Comet que existiu em Portugal foi adquirido pelo Governo, tendo em vista a realização da travessia do Atlântico Sul em tempo recorde. Transportado em voo de Londres para Lisboa no dia 26 de Fevereiro de 1935 pelo piloto militar Costa Macedo e pelo piloto civil Carlos Bleck, realizaram a primeira viagem directa entre as duas cidades em seis horas e dez minutos, à velocidade média de 370 Km/h.
   
     Este avião tinha sido baptizado de «Black Magic», nome que condizia com a pintura, inteiramente a negro. Foi um dos aparelhos concorrentes à corrida aérea da Inglaterra à Austrália em 1935, e já possuía o recorde de ligação Londres - Bagdade, obtido em 1934. Foi baptizado de «Salazar» e registado civilmente, cabendo-lhe a matrícula CS-AAJ.

Imagem 3: Cortesia de  http://digitalhangar.blogspot.pt

     A travessia planeada não se chegou a realizar devido a avaria no trem de aterragem quando, no dia 14 de Março de 1935, descolava da Escola Militar de Aeronáutica (EMA) em Sintra.
     Mandado reparar na Grã-Bretanha, regressou à EMA em 2 de Julho de 1937, fazendo novamente a ligação directa de Londres a Lisboa, desta vez à velocidade média de 400 Km/h, estabelecendo o recorde da época em 5 horas e 28 minutos.
     Integrado na Aeronáutica Militar (AM), foi considerado sem aplicação militar e revendido ao fabricante em 1940. Não se sabe se, depois de integrado na AM, esta lhe atribuiu alguma matrícula.
 
     O DH-88 Comet manteve a pintura inteiramente a preto, com os cubos dos hélices em alumínio. A Cruz de Cristo, que ostentava em ambos os lados das asas e da fuselagem, não correspondia exactamente à insígnia dos aviões militares portugueses: Cruz de Cristo sem círculo branco, contornada exteriormente a branco. A bandeira nacional, com escudo, estava colocada no leme de direcção, em forma rectangular. Nos lados dos painéis laterais do nariz estava pintado a branco o nome de baptismo: «Salazar».


Fontes:
Imagem 1: FAP/AHFA - Força Aérea Portuguesa / Arquivo Histórico da Força Aérea;
Imagem 2: Cortesia de  Richard Ferriere - 3 vues;
Imagem 3: Cortesia de  Paulo Alegria - Blog Digital Hangar;
Texto: "Aeronaves Militares Portuguesas no Século XX" - Adelino Cardoso - Edição ESSENCIAL, Lisboa, 2000.

Sem comentários :

Enviar um comentário