Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Hunting Jet Provost

Imagem 1

HUNTING JET PROVOST T Mk-2

Quantidade: 1
Utilizador: Força Aérea
Entrada ao serviço: Outubro de 1959
Data de abate: 1959


Dados técnicos:
a.       Tipo de Aeronave
Avião mono-reactor terrestre, de trem de aterragem triciclo retráctil, mono-plano de asa baixa, revestimento metálico, bilugar lado-a-lado em cabina transparente fechada, concebido para instrução básica de pilotagem.
Tripulação: 2 (piloto-instrutor e aluno).
b.       Construtor
Hunting Percival Aircraft Ltd. / Grã-Bretanha.
c.       Motopropulsor
Motor: 1 motor turborreactor Bristol-Siddeley Viper 11, de 1.135 Kgf de impulsão.
d.       Dimensões
Envergadura........................11,25 m                  
Comprimento…....................9,88 m
Altura………….…..................3,10 m
Área alar.........................…..19,85 m²
e.       Pesos
Peso vazio………...desconhecido
Peso máximo....................3.588 Kg
f.        Performances
Velocidade máxima …….....550 Km/h
Velocidade de cruzeiro...desconhecida
Tecto de serviço …………6.610 m
Raio de acção…………....…530 Km
g.       Armamento
Sem armamento.
h.       Capacidade de transporte
Nenhuma.


Imagem 2

Resumo histórico:
     Nos primeiros anos da década de cinquenta do Século XX, a Royal Air Force (RAF) começou a substituir os aviões de instrução básica com motores convencionais por modernos aviões propulsionados por motores de reacção.
     É neste cenário que aparecem o De Havilland DH Vampire T-11 e o Hunting Jet Provost. A Hunting apresentou o projecto de um avião monorreactor de asa baixa, com dois postos de pilotagem, lado-a-lado, designado por Jet Provost.
     Em 1953, a RAF encomendou nove exemplares para testes. O protótipo, XD674, voou pela primeira vez no dia 16 de Junho de 1954. Os oito restantes receberam a designação de Jet Provost T Mk-I.

     Em breve foram encomendados mais Jet Provost T Mk-1. Foram entregues à Central Flying School da RAF em meados de 1955, onde foram utilizados na formação de pilotos e na equipa acrobática que se apresentou em Farnborough em 1958 e 1959.
     O primeiro curso de pilotagem ministrado em Jet Provost foi um sucesso, com o primeiro aluno-piloto a fazer o primeiro voo solo no dia 17 de Outubro de 1955, ao fim de 8 horas de voo acompanhado do instrutor. Ficou então demonstrado que os alunos-pilotos que recebiam instrução em aviões de reacção, não necessitavam de mais horas de instrução que aqueles que utilizavam aviões com motores convencionais.
Pouco tempo depois surgiu o protótipo da versão Jet Provost T Mk-2.

     A experiência obtida pelo seu desempenho nas escolas conduziu à versão Jet Provost T Mk-3, que foi encomendada para produção de série e equipou muitas escolas de voo da RAF. O primeiro voo de um T Mk-3 teve lugar em 22 de Junho de 1958. Diferenciava-se dos anteriores modelos pelo motor mais potente, depósitos de combustível nas pontas das asas, trem de aterragem mais robusto e mais baixo, novo desenho da cobertura da cabina e cadeiras ejectáveis. Foram entregues 201 exemplares.
     Em Julho de 1960 voou o protótipo da versão Jet Provost T Mk-4, com motor ainda mais potente. Foram construídos 185 exemplares, que substituiram os T Mk-3.

     Em 1964 a Hunting foi absorvida pela British Aircraft Corporation (BAC), mais tarde British Aerospace (BAe). Nesse ano, uma nova versão designada por Jet Provost H-145 passou para BAC-145, que a RAF designou por Jet Provost T Mk-5, de cabina pressurizada para voos a grande altitude e que começou a ser entregue em 1969.
     As exportações dos Jet Provost foram um insucesso, não ultrapassando as 65 unidades, distribuídas pelo Iraque, Singapura, Sri lanka, Sudão e Venezuela.
     Em 26 de Outubro de 1967 voou o protótipo do BAC-167, com estrutura reforçada, asas reforçadas com suportes para armamento e duas metralhadoras de 12,7 mm colocadas no nariz.
     Com estas alterações para combate, introduzidas num modelo baseado no Jet Provost T Mk-5, nasceu um novo avião de apoio táctico, designado BAC-167 Strikemaster, que obteve maior sucesso comercial que o seu antecessor.


Percurso em Portugal:
     Em Outubro de 1959 esteve na Base Aérea N° 1 (BA1), Sintra, um avião Hunting Jet Provost T Mk-2, com a finalidade de ser avaliado para substituir os T-6 Texan na instrução básica de pilotagem.
     Poucos dias depois da sua chegada a Portugal fez uma aterragem com o trem de aterragem recolhido, ficando ligeiramente danificado. A Força Aérea Portuguesa (FAP) considerou que não satisfazia os requisitos e foi devolvido ao fabricante.
    A FAP matriculou-o provisoriamente com o número 5803, na continuação da numeração atribuída aos dois DH Vampire existentes.
     O Jet Provost estava pintado de branco, com o nariz e secção da cauda – não o conjunto estabilizador da cauda – em dayglo. Ostentava a Cruz de Cristo, sobre círculo branco, no extradorso da asa esquerda, no intradorso da asa direita e nos lados da fuselagem. As cores nacionais, sem escudo, estavam colocadas dentro de um rectângulo nos lados do estabilizador vertical. O número de matrícula encontrava-se  a preto em ambos os lados das asas, alternando com a insígnia e também sobre os rectângulos com as cores nacionais no estabilizador vertical.


Fontes:
Imagem 1: FAP / AHFA - Força Aérea Portuguesa / Arquivo Histórico da Força Aérea;
Imagem 2: Cortesia de  Richard Ferriere - 3 vues;
Texto: "Aeronaves Militares Portuguesas no Século XX" - Adelino Cardoso - Edição ESSENCIAL, Lisboa, 2000.

Sem comentários :

Enviar um comentário