Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Arco Geodésico de Struve

Imagem 1 - A estação mais setentrional do Arco
Geodésico de Struve, em Fuglenaes,
Hammerfest, Finnmark, Noruega.
Foto de Clemensfranz



     O Arco Geodésico de Struve é um conjunto de triangulações geodésicas que se estendem desde Hammerfest, na Noruega (junto ao Oceano Árctico) até ao Mar Negro, na Ucrânia, atravessando 10 países e com cerca de 2.820 km de comprimento.

Friedrich Georg Wilhem von Struve

     Os vértices da triangulação foram estabelecidos por uma campanha que decorreu entre 1816 e 1855, liderada pelo astrónomo germano-báltico (1)Friedrich Georg Wilhem von Struve (1793-1864), e que consistiu na primeira medição rigorosa de um longo segmento de Meridiano.
     Este cálculo permitiu estabelecer o tamanho e forma exactos do nosso planeta e marcou um importante passo no desenvolvimento das Ciências da Terra, da Cartografia, da Geodesia e da Topografia. Trata-se de um extraordinário exemplo de colaboração científica e política entre cientistas e poderes políticos de diferentes países, para uma causa científica.

     O arco original era baseado em 258 triângulos e 265 pontos de estacionamento principais. Os pontos variam na forma de materialização (furo em rocha, cruz de ferro, obeliscos, etc.)
     O sítio inscrito na lista do Património Mundial compreende 34 dos pontos fixos originais e estão situados ao longo de dez países. O conjunto foi reconhecido pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade, em 2005.

(1) Os Germano-bálticos são uma etnia (em língua alemã Deutsch-BaltenDeutschbalten, por vezes Baltendeutsche) que habita a costa oriental do Mar Báltico, na zona onde hoje se situam a Estónia e a Letónia.

     Apresenta-se o mapa com a localização do Arco Geodésico de Struve e a lista dos 34 pontos existentes ao longo de 10 países:










Noruega:
Fuglenaes (Hammerfest) (70º40'11" 23º38'48"O - Imagem 1);  Raipas; Luvdiidcohkka;  Baelljasvarri. 






Suécia:
"Pajtas-vaara" (Tynnyrilaki, Kiruna);  "Kerrojupukka"( Jupukka);  Pullinki;  "Perra-vaara" (Perävaara).   





Finlândia:
Stuor-Oivi (actualmente Stuorrahanoaivi);  Avasaksa (actualmente Aavasaksa);  Tornea (actualmente Alatornion kirkko);  Puolakka (actualmente Oravivuori);  Porlom II (actualmente Tornikallio - Lappträsk em sueco);  Svartvira (actualmente Mustaviiri).  





Estónia:
"Woibifer" (Võivere);  "Katko" (Simuna);  "Dorpat" (observatório de Tartu).






Letónia:
"Sestu-Kalns" (Ziestu);  "Jacobstadt" (Jekabpils).







Lituânia:
"Karischki" (Gireišiai);  "Meschkanzi" (Meškonys);  "Beresnäki" (Paliepiukai).






Rússia: 
"Mäki-päälys" (Mäkipällys, em Hogland);  "Hogland, Z" (Tochka Z, também em Hogland).




Bielorrússia:
"Tupischki" (Tupishki);  "Lopati" (Lopaty);  "Ossovnitsa" (Ossovnitsa);  "Tchekutsk"; "Leskovichi".



Moldávia: 
Rudy





Ucrânia:
Felshtin;  Baranovka;  Staro-Nekrasovka (Stara Nekrasivka). 






Fontes:
Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cortesia de UNESCO - World Heritage
Cortesia de Wikimedia Commons

Sem comentários :

Enviar um comentário