Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Bahrein

مَمْلَكَةُ البَحْرَين

Kingdom of Bahrein

Reino do Bahrein



Bandeira
Brasão de Armas







Localização:
Ásia, Médio Oriente, Golfo Pérsico, Península Arábica, Sudoeste Asiático.
(Micro-Estado)


Origem / Pequeno resumo histórico:
     O Bahrein é um arquipélago de trinta e cinco ilhas e ilhotas situado no Golfo Pérsico, a leste da Arábia Saudita e a noroeste do Qatar. Das trinta e cinco ilhas, apenas três são habitadas.

     O nome do país vem do árabe "dois mares". A referência exacta a estes "dois mares" continua a ser assunto de debate. Alguns identificam os "dois mares" como as águas da baía nos dois lados da ilha. Outros acreditam que o nome se refere à posição do país como uma ilha do golfo pérsico, separada por "dois mares": a Arábia ao sul, e o Irão ao norte. Ainda há os que sugerem que o primeiro mar está à volta do Bahrein e o segundo "mar" metaforicamente representa a abundância natural de águas termais sob a própria ilha.
     Em português a grafia do país é muito variável. As formas Bahrein e Bahrain se encontram muito difundidas nos países lusófonos, sendo um anglicismo, já que a transliteração correcta do árabe البحرين para português é Bareine.

     As ilhas do Bahrein foram sempre cobiçadas desde a antiguidade, devido à sua posição geo-estratégica privilegiada na região do Golfo, que constituía estas ilhas como escala obrigatória nas rotas comerciais entre os Sumérios  (estes designavam estas ilhas como Dilmun) e o Vale do Indo, há três milénios.
Os gregos já conheciam estas ilhas como Tylos.
     A população barenita converteu-se ao islamismo no séc. VII. Antes disso, a sua população seguia maioritariamente o cristianismo e tinha uma minoria religiosa judaica.
     No ano de 685, os Najadat, dos Kharijitas, que constituíam um grupo moderado dos Azraquitas e que se desenvolveu na Arábia central (rejeitando o assassinato político), conquistam o Bahrein, bem como uma parte do Iémen e penetram no Omã.
     O termo Bahrein foi usado durante o inicio da era islâmica para designar a área que agora conhecemos como Golfo Pérsico, que só assim foi designada depois do Império Persa o ter controlado durante cerca de cento e cinquenta anos. Até aí, as ilhas eram conhecidas apenas como Awal (alguns dizem Aval).

     De 1521 a 1602, o país foi ocupado pelos portugueses, após a política fortemente expansionista prosseguida a partir de 1510 por Afonso de Albuquerque, Governador Geral do Império Português no Oriente., datando desse período a construção do Forte do Bahrein (em árabe Qal’at al-Bahrain), actualmente classificado como Património Mundial da UNESCO.
     Em 1602, com a ajuda dos ingleses, as ilhas foram tomadas pelo Império Persa, tornando-se numa base estratégica e militar muito importante.
     Ahmad ibn Khalifa, um príncipe oriundo da Arábia Saudita, conquistou as ilhas e obteve a sua independência do Império Persa em 1783, aproveitando o enfraquecimento do Império Afsharida, acossado por invasões e guerras constantes com o Império da Rússia e Império Otomano, fundando a dinastia que reina até hoje no país.

     Vários tratados forçados feitos no séc. XIX determinaram que o arquipélago se transformasse num protectorado militar e comercial britânico.
     O Bahrein conseguiu novamente a independência (saindo da situação colonial de protectorado ocupado militarmente) em 1971, transformando-se em Emirado.
     Em 1973 foi promulgada uma Constituição, que estabeleceu o Regime Monárquico tradicional e criou um sistema com duas câmaras de Concelhos: um Concelho consultivo e um Concelho dos representantes.


Cultura:
     Embora o Bahrein seja um dos países mais liberais do Golfo Pérsico, não deixa de ser um país muito conservador e com uma cultura islâmica muito arreigada, sobretudo se compararmos com alguns países árabes que recebem mais turismo.
A paisagem do arquipélago é uma mistura de natureza e cultura, que resulta tremendamente interessante para o visitante.
     O trabalho artesanal, que ainda continua nas ilhas, constitui o mais típico da cultura tradicional. Cestos, roupas, vasilhas e outros artigos expõem-se e vendem-se por numerosos lugares. Ainda podem adquirir-se belas peças de joalharia, que incorporam as famosas Pérolas do Bahrein.

     A gastronomia do Bahrein é muito variada, embora prevaleçam numerosos pratos de influência chinesa e indiana. Desde os sorvetes, o shawarna, frutas como as tâmaras, e também comida ocidental, que poderá encontrar nos grandes centros comerciais. Um prato muito popular é o foul, muito saboroso, preparado à base de feijão. Cozinha-se também o frango assado.
E para pratos rápidos ou comidas a baixo preço estão as comidas hindus e a comida ocidental, estilo fast food.
     As bebidas mais consumidas são a água mineral, os sucos de frutas e os refrigerantes. O "Champagne Saudita" é feito à base de suco de maçã e Perrier.


Principais recursos naturais:
Madeira, pérolas, gás natural e produção e refinamento de petróleo (Em pequenas quantidades)


Datas comemorativas:
Dia Nacional – 16 de Dezembro (Comemora a data da independência, da protecção britânica, em 1971).



Símbolos nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional – "Bahrainona" (Nosso Bahrein);
Insígina da Royal Bahrein Air Force.


Insígnia da Royal Bahrein Air Force
Vista parcial de Manama, capital do Bahrein















Capital:                                                                        Moeda oficial:
Manama                                                                      Dinar Bareinita  (ou Dinar do Bahrein)


Línguas oficiais:                                                          Tipo de Governo:
Árabe e inglês                                                              Monarquia Constitucional


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
21 de Setembro de 1971.


Organizações / Relações internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • LEA - Liga dos Estados Árabes;
  • CCG - Conselho de Cooperação do Golfo;
  • AALCO - Associação Jurídica Consultiva Afro-Asiática;
  • MNA - Movimento dos Países Não-Alinhados;
  • OCI - Organização da Conferência Islâmica;
  • FMA - Fundo Monetário Árabe;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • Grupo dos 77 - Nações em desenvolvimento;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • IHO - Organização Hidrográfica Internacional;
  • ICDO - Organização Internacional de Protecção Civil;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações (membro observador);
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • PCA - Tribunal Permanente de Arbitragem;
  • RAMSAR - Convenção sobre as Zonas Húmidas de Importância Internacional;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas;
  • OPAEP - Organização dos Países Árabes Exportadores de Petróleo;
  • PSIWMD - Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas de Destruição Maciça;
  • IRENA - Agência Internacional para as Energias Renováveis;
  • WIPO - Organização Mundial da Propriedade Intelectual.


Património Mundial (UNESCO):
  • Qal’at al-Bahrain – Forte do Bahrein ou Forte Português da Ilha de Bahrein (2005, 2008, 2014);
Escavações arqueológicas do Qal'at al-Bahrain (UNESCO)
  • Indústria petrolífera tradicional do Bahrein, testemunho de uma economia insular (2012).

Vista parcial de Qal'at al-Bahrain (UNESCO)

Fonte:
Wikipédia, a enciclopédia livre.