Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Bélgica

Koninkrijk België
Royaume de Belgique
Königreich Belgien
Reino da Bélgica



Bandeira
Brasão de Armas
























Localização:
Europa, Europa Ocidental, Europa Central


Origem / Pequeno resumo histórico:
     O nome "Bélgica" é derivado de Gália Belga, uma província romana na parte setentrional da Gália, que era habitada pelos Belgae, uma mistura de povos Celtas e Germânicos.

     A Bélgica situa-se numa região habitada por tribos célticas e germânicas na época da conquista por Júlio César, em 50 a.C. Entre os Séculos XVI e XVIII os belgas encontram-se sob o domínio espanhol, quando, em 1815, o país é integrado nos Países Baixos.

Episódio da Revolução belga de 1830 (1834), do
pintor belga Gustave Wappers (1803-1874)
Museu de Arte Antiga, Bruxelas.
     A Bélgica conquistou a sua independência através da Revolução de 1830, proclamada e aceite na Conferência de Londres, em 1831, onde as grandes potências, lideradas pelo Reino Unido e França, promoveram a neutralidade perpétua do país. Os belgas constituíram-se em Monarquia Constitucional (1831) e redigiram uma Constituição com um poder legislativo bicameral, sendo eleito o Príncipe Leopoldo de Saxe-Coburgo-Gota (1790-1865), o primeiro Rei, com o título de Leopoldo I, que reinou a partir de 1831 até à sua morte.

     Durante a Primeira Guerra Mundial tropas alemãs invadem o país. Em 1948 a Bélgica, os Países Baixos e o Luxemburgo formam o BENELUX (iniciais de België, Nederland e Luxemburg), abolindo barreiras alfandegárias. 
     A Bélgica foi membro constituinte, em 1952, da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço e contribuiu para a fundação, em 1957, da Comunidade Económica Europeia - CEE (hoje União Europeia).
     Reformas constitucionais estabelecem três comunidades - flamenga, valã e alemã - e três regiões -Flandres, Valónia e Bruxelas - com instituições autónomas. Mesmo assim, eclodem conflitos entre valões e flamengos em 1987. Actualmente, a sua capital, Bruxelas, é a sede de algumas das instituições da União Europeia.
     A Bélgica apresenta a taxa de exportação mais elevada de todos os países do mundo. As exportações representam 70 % do Produto Nacional Bruto do país.


Cultura:
     A cultura da Bélgica é muito rica em museus, edifícios históricos e arte. Uma vez por ano tem um concurso de música chamado "Koningin Elisabeth Wedstrijd" onde, todos os anos, um tipo de instrumento musical clássico é escolhido.
     Durante o verão têm lugar muitos festivais. Os mais conhecidos são: Werchter, Sfinks, Dour e Pukkelpop. Principalmente os jovens vão para dançar ao som das músicas das bandas famosas nacionais e internacionais. Existem ainda festivais para adultos, alternativos, com música do mundo inteiro, e outros.
     Uma referência na cultura é a cerveja belga. Existem mais de 450 tipos de cervejas. As cervejas do tipo trapist só existem na Bélgica. Existe também cerveja feita de cereja ácida, denominada Kriek.

Gastronomia - A cozinha belga é influenciada pelas culinárias dos países vizinhos, como a da França (especialmente da região da Lorena) e a cozinha regional das regiões belgas da Flandres e Valónia.
     Nas regiões costeiras é comum servir pratos de peixe e frutos-do-mar. Um dos pratos tradicionais é Moules Frites (mexilhões servidos com batatas fritas). Os belgas juram serem os seus inventores, servindo-as em abundância como lanches em pratos ou cones de papel cobertos de maionese ou um outro molho qualquer.
     Outro prato típico é Waterzooi, um guisado com peixe ou galinha. O médico e botânico flamengo Carolus Clusius (1525-1609) teve um papel importante na divulgação da batata na Bélgica. Desde sua introdução, a batata faz parte da cozinha rústica típica do país.
     O chocolate belga é reconhecido pelo alto padrão de qualidade na produção. Outros doces, como Wafel, Spéculoos e Praline, não são menos populares.
     Depois da refeição principal e antes da sobremesa é comum servir um dos queijos típicos da Bélgica, como por exemplo o Limburger. A cerveja, com marcas como Kriek, Hoegaarden, Leffe, La Binchoise e Chimay, reconhecidas mundialmente, valorizam ainda mais a cultura cervejeira e gastronómica do país.

Música - A Bélgica é, actualmente, um país que possui grupos para inúmeros géneros e estilos musicais. Existem vários artistas belgas reconhecidos internacionalmente e que usufruem de enorme sucesso. O país é reconhecido por ter alguns dos maiores nomes da música dance e electrónica.
     Os artistas mais conhecidos internacionalmente da Bélgica são, na maioria, da região flamenga. Isto explica-se por este mercado musical ser maior e mais aberto do que o mercado valão. Consultando a lista Ultratop 50, verifica-se que um hit número 1 na Flandres raramente atinge a mesma posição na Valónia, por vezes ficando bem atrás.
     O Ultratop 50 é o top oficial do país e que publica todas as sextas-feiras os 50 álbuns e singles mais vendidos das duas regiões do país.
     Entre os artistas belgas mais notáveis estão Django Reinhardt, Audrey Hepburn, Jacques Brel, Plastic Bertrand, DEUS, Kate Ryan, Lara Fabian, Hooverphonic, K’s Choice, Jean-Claude van Damme, Lasgo, Milk Inc., Ian Van Dahl, Anna Grace Sylver, Jessy De Smet, Dr. Lektroluv, Technotronic, Júnior, Jack, Dana Winner, Brian Molko, vocalista do grupo Placebo, Vive la Fête e Stromae.


Principais recursos naturais:
Minério de ferro, chumbo, zinco, cobre, areia de sílica, carbonatos e gás natural na plataforma do Mar do Norte.


Datas comemorativas:
Dia Nacional – 21 de Julho (comemora a data em que o primeiro Rei da Bélgica, Leopoldo de Saxe Coburgo-Gota, fez o seu juramento, em 1831.)



Símbolos nacionais:
Insígnia da Força Aérea Belga
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional (“La Brabançonne”);
Insígnia da Força Aérea Belga.


Lema:
Eendracht maakt macht (holandês)
L'union fait la force (francês)
Einigkeit macht stark (alemão)
("A União faz a força")





Capital:                                                                                   Línguas oficiais:
Bruxelas.                                                                               Flamengo, francês e alemão.


Imagens de Bruxelas, capital da Bélgica.

Moeda oficial:
Euro (adesão em 2002)


Tipo de Governo:
Monarquia Constitucional - Democracia Federal Parlamentar.


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
27 de Dezembro de 1945.


Data de entrada na UE (União Europeia):
1957 (membro fundador).


Organizações / Relações internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • UE - União Europeia;
  • UME - União Monetária Europeia;
  • BM - Banco Mundial;
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • NATO / OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte;
  • TA - Tratado da Antárctida;
  • FMI - Fundo Monetário Internacional;
  • G-10 - Grupo de onze economias desenvolvidas;
  • OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico;
  • OSCE - Organização para a Segurança e Cooperação na Europa;
  • UEBL - União Económica Belgo-Luxemburguesa;
  • BENELUX - Bloco Económico entre a Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo;
  • OIF - Organização Internacional da Francofonia;
  • OIV - Organização Internacional da Vinha e do Vinho;
  • AIE - Agência Internacional de Energia;
  • APCE - Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa;
  • ICO - Organização Internacional do Café;
  • CERN - Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • CLIMS - Comité de Ligação Internacional dos Organismos Militares Sociais;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • IRU - União Internacional de Transportes Rodoviários;
  • UIC - União Internacional dos Caminhos-de-Ferro;
  • AG - Grupo Austrália;
  • GFN - Grupo de Fornecedores Nucleares;
  • IHO - Organização Hidrográfica Internacional;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • PCA - Tribunal Permanente de Arbitragem;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas;
  • TPI - Tribunal Penal Internacional;
  • UPM - União para o Mediterrâneo;
  • RAMSAR - Convenção sobre as Zonas Húmidas de Importância Internacional;
  • PSIWMD - Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas de Destruição Maciça;
  • IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais;
  • TEDH - Tribunal Europeu dos Direitos Humanos;
  • UIHJ - União Internacional dos Oficiais de Justiça;
  • UNIDROIT - Instituto Internacional para a Unificação do Direito Privado;
  • WIPO - Organização Mundial da Propriedade Intelectual.


Património Mundial (UNESCO):
  • Beguinarias Flamengas (1998);
  • Elevadores do Canal do Centro (Hainault) (1998);
  • Grand-Place de Bruxelas (1998);
  • Campanários (sítio transfronteiriço com a França), (1999, 2005);
  • Construções do arquitecto Victor Horta, Bruxelas (2000);
  • Minas Neolíticas de Sílex de Spiennes (Mons) (2000);
  • Catedral de Nossa Senhora de Tournai (2000);
  • Centro Histórico de Bruges (2000);
  • Complexo Museológico Plantin-Moretus (2005);
  • Casa Stoclet, Bruxelas (2009);
  • Principais sítios mineiros da Valónia (2012).

Grand-Place de Bruxelas (UNESCO)


Catedral de Nossa Senhora de Tournai (UNESCO)



Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO):
  • Procissões de Gigantes e Dragões (Bélgica e França) (2008) - A tradição dos gigantes e dragões em procissão englobam um conjunto original de performances rituais festivas e manifestações folclóricas. Estas efígies apareceram em muitas cidades europeias, pela primeira vez, em procissões religiosas no final do século XIV, e são o emblema de identidade para determinadas regiões da Bélgica (Ath, Bruxelas, Dendermonde, Mechelen e Mons) e da França (Cassel, Douai, Pezenas e Tarascon), onde permanecem como tradições vivas;
  • Carnaval de Binche (2008) - A cidade medieval de Binche, com mais de 32 mil habitantes, está localizada ao sul de Bruxelas, na província belga de Hainaut. Todos os anos, durante os três dias que antecedem a Quaresma, realiza-se um Carnaval no centro histórico da cidade, que atrai muitos visitantes estrangeiros. O famoso Carnaval de Binche, cujas origens remontam à Idade Média, é uma das festas mais antigas do seu género a sobreviver na Europa;
  • Procissão do Santo Sangue, em Bruges (2009) - Todos os anos, na Primavera, entre 30 mil e 45 mil pessoas vêm para o centro da cidade de Bruges, para a procissão do Santo Sangue no Dia da Ascensão, quarenta dias depois da Páscoa. As origens deste colorido desfile remonta ao século XIII. Diz-se que naquela época um cidadão de Bruges regressou da Segunda Cruzada trazendo uma relíquia do Sangue de Jesus. Liderados por 30 homens da cidade, os irmãos da Nobre Irmandade do Santo Sangue, acompanhados por bandas e mais de 1.700 moradores do município desfilando a pé, a cavalo ou em carruagens, com cenas do Antigo Testamento, a vida de Jesus e a história de Bruges. Em seguida, os diferentes grupos de cidadãos vão venerar a relíquia e a procissão termina com uma missa em vários idiomas, para que possam participar os visitantes que vêm de outros países. Esta procissão tem desempenhado um papel importante na expressão da identidade dos habitantes de Bruges, bem como o contacto com pessoas de fora durante séculos. A procissão do Santo Sangue é um exemplo vivo de como uma cerimónia colectiva pode unir uma cidade através de uma representação ritual da sua história e das suas crenças;
  • Os Festivais de Krakelingen e Tonnekensbrand, festivais do pão e do vinho do fim do Inverno em Geraardsbergen (2010) - Geraardsbergen é a cidade que hospeda a feira anual, na primeira segunda-feira de Março, celebrando o fim do Inverno, oito dias antes das festividades Krakelingen e Tonnekensbrand. No dia anterior, os comerciantes decoram as suas janelas, os padeiros assam pães especiais em forma de anel, chamados krakelingen, e os professores ensinam aos seus alunos a história que explica as origens da festa ritual. No dia da celebração, a procissão, composta por milhares de pessoas lideradas pelo reitor e vereadores, vestidos no estilo antigo, sai da Igreja de Hunnegem. Portadores de pão, vinho, peixes e luz, os participantes da procissão são encaminhados para o topo da colina Oudenberg, onde se encontra a capela de Santa Maria. Uma vez no templo, o reitor abençoa as krakelingen e recita uma oração. Em seguida as autoridades religiosas e civis bebem um gole de vinho em vidro de prata do século XVI, contendo habitualmente um peixinho vivo. Depois atiram à multidão ali presente dez mil krakelingen . Um deles contém um bilhete premiado, que consiste numa jóia de ouro criada especialmente para o evento. Ao anoitecer, as pessoas reúnem-se novamente no topo da colina, onde pegam fogo a um barril de madeira, o tonnekensbrand, para celebrar a chegada da Primavera. Depois, os participantes descem a colina levando uma tocha acesa na mão a fim de trazer luz para as tochas da cidade. O ritual festivo dá aos participantes um forte senso de continuidade e faz com que tomem consciência de seu passado, evocando lendas e acontecimentos históricos transmitidos de geração em geração;
  • Houtem Jaarmarkt, feira anual de Inverno e mercado de gado em Sint-Lievens-Houtem (2010) - Houtem Jaarmarkt é uma feira anual que se realiza na aldeia de Sint- Lievens - Houtem, localizado a sudeste da província da Flandres Oriental, na Bélgica. Em 11 e 12 de Novembro de cada ano, esta cidade é o cenário do último grande mercado ao ar livre em todo o país para a compra de gado e cavalos puro-sangue. Centenas de comerciantes mostram os seus animais ante os juízes, colegas , agricultores e milhares de visitantes entusiasmados. As pessoas vêm de todo o país para visitar os cerca de 500 expositores da feira e conhecer outros comerciantes, além de ver, tocar, experimentar e comprar animais ou máquinas agrícolas, testemunhando ao mesmo tempo as transacções que são usados ​​para técnicas ancestrais de negociação. Em cada ano é convidada uma região diferente de um país estrangeiro para expor os seus produtos regionais, artesanato e outros elementos atractivos, permitindo a realização de encontros e intercâmbios entre os comerciantes, agricultores e artesãos de diferentes países;
  • Carnaval d'Alost (2010) - O Carnaval de Alost é realizado todos os anos durante três dias, começando no Domingo da Quaresma cristã. A celebração deste Carnaval é o culminar do ano de preparações feitas pelos moradores desta cidade, no norte da Bélgica, na região de Flandres Oriental. Esta tradicional celebração de 600 anos de idade atrai cerca de 100 mil visitantes e é uma expressão de um esforço colectivo de todas as classes sociais, bem como um símbolo da identidade da cidade na região;
  • Programa cultural ludodiversity: salvaguardar os jogos tradicionais na Flandres (2011) - O ludodiversity refere-se à grande variedade de jogos, desportos, exercícios físicos, dança e acrobacia. A ONG Sportimonium, em colaboração com as comunidades e associações locais, tomou medidas para salvaguardar o património de jogos e desportos na Flandres (Bélgica), incluindo vinte e três tipos de jogos tradicionais;
  • O reportório de rituais de classes de idade de Louvain (2011) - O repertório do ritual das classes de idade de Louvain (Lovaina em português) é um rito de passagem na vida de um homem, centrado nos dez anos antes do seu quinquagésimo aniversário. Para os homens de Leuven (Bélgica) e arredores, o ritual começa aos quarenta com a realização de uma viagem sócio-cultural e actividades filantrópicas e culmina aos cinquenta anos, no dia de São Abraão, com uma celebração no parque central da cidade, junto à estátua do profeta Abraão. Cada classe de idade escolhe a sua própria medalha, bandeira e um uniforme distinto. É apoiada por um "patrocinador" ou "padrinho" mais velho pertencente a uma classe formada dez anos antes. Os membros celebram e abraçam a vida por mais dez anos. Uma classe ou grupo de idade desaparece apenas quando o último membro morre. As faixas etárias são caracterizadas por manterem os valores entre gerações, com abertura, amizade, solidariedade e dedicação à sua classe de idade e à cidade. As diferenças de origem, posição ou status social  não são importantes, assim como as convicções políticas, filosóficas ou religiosas. Os únicos requisitos para a participação é ser um homem e ter nascido no mesmo ano. As mulheres participam mais como mentores e apoiantes. Este ritual estimula a identidade e o sentido de continuidade, tanto para a cidade como para os membros, e tornou-se uma parte importante para a cultura urbana de Louvain. O número actual de classes de idade é de cinquenta e quatro, sendo que em 2014 dá-se início à 137ª classe de idade;
  • Marchas Militares de Entre-Sembre-et-Meuse (2012) - As Marchas Militares de Entre- Sambre -et- Meuse é um importante elemento da identidade cultural da comunidade com o mesmo nome localizada entre os rios Sambre e Meuse, na região da Valónia (Bélgica). Todos os residentes participam nestas marchas, comemorando a dedicação da igreja desta cidade ao seu santo padroeiro. As procissões são escoltadas, compreendendo vários grupos organizados em estilo militar, e cada um reúne dezenas, ou até centenas de participantes, vestidos com uniformes militares. Cada empresa é gerida por uma comissão e / ou um organismo oficial que organiza a rota da marcha e garante a boa ordem das formações . Os jovens saem com seus pais , formando linhas na Jovem Guarda ou outras empresas. A transmissão das tradições associadas a esta prática cultural é feito por via oral, muitas vezes no seio das famílias , e nas reuniões, bailes e banquetes que precisam ser organizados para preparar o caminho . Criamos dinastias de bateristas e pífano transmitindo seus conhecimentos, melodias e músicas para novos músicos . Os artesãos que projetar e fabricar baterias de roupas e pífaros também transmitir as suas técnicas para reconstituir e criar instrumentos musicais , trajes, bandeiras e acessórios. As engrenagens têm um papel vital no fortalecimento da integração no grupo de homens e mulheres de diferentes origens , e promoção da coesão social;
  • Actividade de Falcoaria, uma herança humana viva (2012) - (Património em parceria com Emirados árabes Unidos, Áustria, república Checa, França, Hungria, República da Coreia, Mongólia, Marrocos, Qatar, Arábia Saudita, Espanha e Síria);
  • A pesca do camarão a cavalo em Oostduinkerke (2013) - Doze famílias de  Oostduinkerke dedicam-se à pesca de camarões e cada um desempenha um papel especial nessa actividade, por exemplo, tecendo redes ou actividade relacionada com o tratamento dos cavalos de raça Brabançon. Excepto no Inverno, estes resistentes cavalos percorrem as águas da praia de Oostduinkerke duas vezes por semana, paralelamente à linha da costa e com a água até ao peito, puxando as redes em forma de funil.

Fontes: 
Wikipedia, a enciclopédia livre;
Cortesia de UNESCO - Lista do Património Cultural e Imaterial da Humanidade