Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Costa do Marfim

République de Côte d'Ivoire
República da Costa do Marfim



Bandeira

Brasão de Armas
































Localização:
África, África Ocidental, África Subsariana


Origem / Pequeno resumo histórico:
     Os antecessores da população actual instalaram-se na área entre os Séculos XVIII e XIX. Os exploradores portugueses chegaram no Século XV e iniciaram o comércio de marfim e escravos do litoral. No Século XVII estabeleceram-se diferentes Estados negros, entre os quais se destacou o dos baules, pelas suas actividades artísticas.
     No final do Século XVII os franceses fundaram os entrepostos de Assini e Grand-Bassam. No Século XIX celebraram uma política de pactos com os chefes locais com o objectivo de estabelecer uma colónia. Em 1887 iniciou-se a penetração para o interior. A região tornou-se uma colónia autónoma em 1893. Em 1899 passou a fazer parte da Federação da África Ocidental Francesa. A ocupação militar ocorreu entre 1908 e 1918, enquanto se construía a linha-férrea, entre o litoral e Bobo-Dioulasso, hoje pertencente a Burkina Faso.
     Em 1919, a parte norte da colónia tornou-se independente. Abidjan permaneceu sob jurisdição francesa durante a Segunda Guerra Mundial, embora a França estivesse ocupada pelos alemães.
     Em 1944, foi criado o Sindicato Agrícola Africano, que deu origem ao Partido Democrático da Costa do Marfim (Parti Démocratique de la Côte d'Ivoire).
     Em 1958 foi proclamada a República da Costa do Marfim, como república autónoma dentro da Communauté française (Comunidade Francesa). Em 1960 alcançou a independência plena.


Cultura:
     A cultura da Costa do Marfim é muito rica. Mais de sessenta grupos étnicos são frequentemente citados, embora este número possa ser reduzido para sete núcleos, com base nas características históricas e culturais comuns. Estes podem ser reduzidos a quatro grandes regiões culturais, diferenciadas em termos de ambiente, atividade económica, linguagem, e características culturais.
Desporto - O Futebol é o desporto mais praticado do país. A selecção de futebol da Costa do Marfim classificou-se para as copas do mundo de 2006 e 2010, mas não conseguiu classificação para os oitavos de final. Venceu a Copa das Nações Africanas de 1992.
     A selecção conta com as estrelas Didier Drogba, Salomon Kalou, Kolo Touré e Yaya Touré (melhor jogador africano de 2013) que brilham nos principais clubes da Europa. A selecção também se classificou para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil.
     O Rugby tem também papel de destaque na história desportiva da Costa do Marfim. É um desporto bem disputado e foi introduzido no país pela colonização francesa.
     Outros desportos incluem ainda o Basquetebol e o Atletismo.


Principais recursos naturais:
Petróleo, gás natural, diamantes, manganés, minério de ferro, cobalto, bauxita, cobre, ouro, níquel, tântalo, areia de sílica, argila, sementes de cacau, café, óleo de palma, energia hidroeléctrica.


Datas comemorativas:
Dia da Independência – 7 de Agosto – Comemora a data da independência, da França, em 1960.


Símbolos nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional – "L'Abidjanaise" ("A Abidjanesa");
Insígnia da Costa do Marfim.


Insígnia da Costa do Marfim



Lema:
"Union, Discipline, Travail" ("União, Disciplina, Trabalho")



Vista parcial de Abidjan

Yamoussoukro - Basílica da Nossa senhora da Paz











Capital:                                                                                                         Língua oficial:
Yamoussoukro (capital constitucional, política);                                 Francês
Abidjan (sede do Governo, capital económica).


Moeda oficial:                                                                                 Tipo de Governo:
Franco CFA                                                                                      República presidencialista


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
20 de Setembro de 1960


Organizações / Relações internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • CEDEAO - Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental;
  • CEN-SAD - Comunidade dos Estados Sahelo-Saharianos;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • Grupo dos 77 - Nações em desenvolvimento;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • IRENA - Agência Internacional para as Energias Renováveis;
  • IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • MNA - Movimento dos Países Não-Alinhados;
  • OCI - Organização da Conferência Islâmica;
  • OIF - Organização Internacional da Francofonia;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações;
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • ICO - Organização Internacional do Café;
  • TPI - Tribunal Penal Internacional;
  • UA - União Africana;
  • ICDO - Organização Internacional de Protecção Civil;
  • UIC - União Internacional dos Caminhos-de-Ferro;
  • UL - União Latina;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas;
  • ZPCAS - Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul;
  • ANWFZ - Tratado Africano para a Formação de uma Zona Livre de Armas Nucleares;
  • UEMOA - União Económica e Monetária do Oeste Africano;
  • UIHJ - União Internacional dos Oficiais de Justiça;
  • RAMSAR - Convenção sobre as Zonas Húmidas de Importância Internacional;
  • BAD - Banco Africano de Desenvolvimento;
  • WIPO - Organização Mundial da Propriedade Intelectual.


Património Mundial (UNESCO):
  • Reserva Natural integral do Monte Nimba (1981, 1982) (partilhado com a Guiné);
  • Parque Nacional de Taï (1982);
  • Parque Nacional do Comoé (1983);
  • Cidade Histórica de Grand-Bassam (2012).

Vista parcial da Cidade Histórica de Grand-Bassam (UNESCO)


Património Oral e Imaterial da Humanidade (UNESCO):
  • Gbofe de Afounkaha, a música da comunidade Tagbana (2008) - O Gbofe é realizado principalmente na aldeia de Afounkaha, na comunidade Tagbana. O termo Gbofe é usado tanto para os chifres como para o desempenho como um todo, que engloba música, canto e dança. Os cornos Gbofe são feitos de raízes cobertas por couro. Seis destes chifres são usados ​​em conjunto, possuindo um comprimento que pode variar entre 50 e 70 centímetros.
  • As práticas culturais e expressões ligadas ao balafon das comunidades Senufo de Mali, Burkina Faso e Costa do Marfim (2012) - O balafon das comunidades Senufo de Mali, Burkina Faso e Costa do Marfim é um xilofone conhecido localmente como o ncegele. O ncegele é composto por 11-21 teclas de comprimentos variados, feitas de madeira, e dispostas sobre uma armação trapezoidal, também feita de madeira ou de bambu.

Fonte:
Wikipedia, a enciclopédia livre

Sem comentários :

Enviar um comentário