Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Reims-Cessna FTB-337G (primeira parte)

Imagem 1

REIMS-CESSNA FTB-337G

Quantidade: 32
Utilizador: Força Aérea
Entrada ao serviço: Dezembro de 1974
Data de abate: 2007


Dados técnicos:
a)       Tipo de Aeronave
Avião bimotor com motores em tandem, terrestre, de trem de aterragem triciclo retráctil, mono-plano de asa alta, com dois fusos de cauda e duplo estabilizador vertical, revestimento metálico, cabina integrada na fuselagem, concebido para operações militares de apoio táctico e transporte ligeiro. Tripulação: 1 (piloto).
b)       Construtor
Cessna Aircraft Corp. / USA.
Sob licença: Reims-Aviation / França.
c)       Motopropulsor
Motores: 2 motores Continental (ou Rolls-Royce) IO-360-D, de 6 cilindros opostos arrefecidos por ar, sobrealimentado, de 225 hp. Hélices: Metálicos, de duas pás, de passo variável e posição de bandeira. O hélice posterior é de menor diâmetro em relação ao hélice anterior.
d)       Dimensões
                Envergadura …………..........12,10 m
                Comprimento…..…………......9,07 m
                Altura………….…………….....2,34 m
                Área alar ……….……...........18,81 m²
e)       Pesos
                Peso vazio……………..…….1.454 kg
                Peso máximo………………..2.100 kg
f)        Performances
                Velocidade máxima ……..……..360 Km/h
                Velocidade de cruzeiro ……......277 Km/h
                Tecto de serviço ………….…..7.260 m
                Raio de acção ………………..1.577 Km
                Raio de acção a baixo regime..2.398 Km
g)      Armamento
Suspenso nas asas, em alternativa:
4 calhas lança-foguetes;
4 metralhadoras ligeiras;
4 bombas.
h)      Capacidade de transporte
4 passageiros; ou 2 macas e 1 assistente.



Imagem 2
Resumo histórico:
     Durante muitos anos a Cessna desenvolveu estudos no sentido de obter um avião ligeiro simples de operar, de baixo custo, seguro e confortável, de quatro a seis lugares e que oferecesse a reconhecida vantagem dos bimotores.
     Na sequência do estudo, optou por aplicar o “conceito CLT” (Center-Line Thrust), que consiste na colocação dos dois motores na fuselagem, um à frente e outro atrás, eliminando os problemas de torque.
     Como corolário do trabalho, surgiu um pequeno avião bi-fuselado, com dois motores em tandem e trem fixo, que foi designado por Cessna Model 336 – Skymaster, cujo protótipo voou pela primeira vez no dia 28 de Fevereiro de 1961.
     Aprovado oficialmente em Maio de 1962, os aviões de produção de série começaram a sair da fábrica em Maio de 1963. Não obtiveram grande sucesso, particularmente pelo antiquado trem de aterragem fixo. As vendas foram modestas. Até Janeiro de 1965 produziram-se somente 195 unidades.
     No mês seguinte foi apresentado o Cessna Model 337 Super Skymaster, com as asas modificadas, novo formato da fuselagem, seis lugares, trem retráctil, melhores performances e outras alterações que o tornaram num avião diferente.
     Este modelo foi bem aceite e em breve surgiram algumas variantes, entre elas o Cessna 337 Turbo System Super Skymaster, com motores sobrealimentados e cabina pressurizada.
     A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) interessou-se pelo avião, por ser de operação semelhante aos pequenos mono-motores e usufruir da segurança dos bimotores.
     A versão militar foi designada por Cessna O-2A, com seis lugares, duplo comando, destinada a missões de reconhecimento e posto de controlo aéreo, com capacidade para transportar diverso armamento ligeiro ofensivo suspenso em quatro suportes instalados sob as asas, estas necessariamente reforçadas. A USAF adquiriu 299 aviões O-2A, que substituíram os mono-motores O-I Dog Bird.
     Os O-2A actuaram em larga escala na Guerra do Vietname, executando missões de controlo aéreo avançado, reconhecimento aero-fotográfico e visual, detecção e sinalização de objectivos para os aviões de ataque ao solo, busca de tripulantes, evacuação de feridos, transporte de ligação e muitas mais, algumas de alto risco, como as missões de detecção de anti-aéreas, voando baixo para servir de alvo e informando das suas localizações os aviões encarregados da sua supressão.

     Em Março de 1967 começaram a operar 32 aviões da versão Cessna O-2B. Eram da versão civil Cessna 337 Super Skymaster, convertidos para a guerra psicológica, equipados com altifalantes e dispositivos para lançar panfletos.
     A fim de fornecer o mercado europeu, os Cessna 337 Super Skymaster começaram a ser produzidos em França, pela Reims-Aviation, com a designação Reims-Cessna F-337 Super Skymaster.
     Em 1970 a Reims-Aviation construiu uma versão militar com características de aterragem e descolagem em curtas distâncias (STOLShort Take-Off and Landing), designada por FTMA-Milirôle, cujo protótipo efectuou o primeiro voo em 26 de Maio de 1970.
A evolução dos FTMA originou a nova designação de Reims-Cessna FTB-337 Milirôle.

     As versões militares dos Cessna 337 são utilizadas em vários países, principalmente na América Central e Ásia. São referidos como operadores destes aviões a Tailândia, Haiti, Honduras, Nicarágua e Senegal. A partir de 1973, a Rodésia dispôs de duas dezenas de Reims-Cessna FTB-33, que designou de Lynx, que utilizou na luta anti-guerrilha, armados com metralhadoras e foguetes instalados em pods suspensos nas asas. Em 1980 alguns destes aviões eram operados pela Força Aérea do Zimbabué.

Imagem 3

     Esta aeronave tem uma história interessante. Ela foi usada, dentre outras, pela organização não governamental Brothers to the Rescue, que actuaram de 1991 a 2001 em missões de busca e salvamento de cubanos que tentavam fugir do regime de Fidel Castro em botes e pequenas embarcações. Uma vez encontrados, eram jogados salva-vidas e suprimentos e contactada a Guarda Costeira dos Estados Unidos para apoio. Em 1996, duas destas aeronaves foram abatidas pela Força Aérea Cubana, mesmo estando em águas internacionais. Uma terceira escapou do ataque.

     Não são conhecidos os resultados comerciais que a Reims-Aviation obteve com os Reims-Cessna FTB-337 no mercado internacional, para além da venda de 32 aviões a Portugal e 20 à Rodésia. Sabe-se apenas que foram construídas 1859 unidades na versão padrão (Cessna Model 337 Super Skymaster) e 332 unidades na versão pressurizada (Cessna 337 Turbo System Super Skymaster). Da versão militar O-2 foram construídas 513 unidades nas várias versões.

(continua)



Fontes (primeira parte):
  • Imagem 1: FAP / AHFA - Força Aérea Portuguesa / Arquivo Histórico da Força Aérea;
  • Imagem 2: Cortesia de Richard Ferriere - 3 vues;
  • Imagem 3: © Carlos Pedro Blog Altimagem;
  • Texto: "Aeronaves Militares Portuguesas no Século XX" - Adelino Cardoso - Edição ESSENCIAL, Lisboa, 2000.

Sem comentários :

Enviar um comentário