Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Eritreia

Hagere Ertra
Estado da Eritreia


Brasão de Armas


Bandeira


















Localização:
África, África Oriental, África Subsariana, Corno de África.


Origem / Pequeno resumo histórico:
     A zona onde fica o Estado moderno da Eritreia tem alguns dos restos mais antigos de humanos e hominídeos no mundo, vestígios dos primeiros dias da nossa espécie. Investigadores Italianos descobriram em 1995 na aldeia de Buya, no sudeste do país, o crânio de um hominídeo com mais de 1 milhão de anos, que representa um intermediário entre o Homo Erectus e o Homo Sapiens.
     A Eritreia também foi o lugar onde evoluiu o elefante conforme o paleontologista norte-americano William Sanders, que encontrou no país o antecedente mais antigo do elefante, um fóssil com cerca de 27 milhões anos.
     As primeiras fontes literárias onde são mencionadas estas terras são de origem egípcia, datadas de 2.500 a.C. e, mais detalhadamente, há 1.500 a.C., durante o reino da Rainha Hatshepsut. Descrevem um país lendário chamado Punt, rico em olíbano (incenso) e mirra ao longo da costa meridional do Mar Vermelho.
   
     No Século VIII antes de Cristo surgiu uma civilização urbana no planalto da Eritreia relacionada com, ou talvez formada, por uma parte do reino antigo de Sabá. Desta sociedade, relacionada com os povos semíticos na Arábia meridional, surge a civilização de Axum, no qual é fundada a maior parte da história e cultura do país. Axum chega a ser o maior centro de poder na região do Mar Vermelho. Produz a sua própria moeda, sistema alfabético, domina as terras e o comércio da toda a região e adopta o cristianismo no Século III d.C.. Os europeus deste tempo chamam de Etiópia (o nome dum país mítico e lendário na literatura grega), a todas as terras pelo sul de Egipto, sem distinguir entre reinos.
     No Século XIV, o apoio do Reino de Portugal aos cristãos salvou-os duma conquista muçulmana apoiada pelos Otomanos.
     Em 1890, a Itália estabelece a colónia da Eritreia com as fronteiras correntes do país, dando-lhe o antigo nome latino (de origem grega) do Mar Vermelho: Mare Erythraeum. O colonialismo italiano permanece até 1941, quando os italianos perdem a Segunda Guerra Mundial e o Reino Unido passa a administrar a Eritreia como seu protectorado.
     Devido à pressão das potências ocidentais e aos seus interesses na região, a ONU decide, em 1952, promover uma federação entre a Eritreia e o Reino da Etiópia.
     Os Estados Unidos estabelecem uma base militar na capital da Eritreia com a permissão do Imperador Hailé Selassié da Etiópia. Em 1961, o Imperador declara a federação cancelada e faz da Eritreia uma província da Etiópia, marcando assim o começo da luta de 30 anos pela independência da Eritreia. A luta é dominada nos anos 1960 e 1970 por uma guerilha conservadora e muçulmana chamada FLE (Frente pela Libertação da Eritreia) com o apoio de países árabes contra o monarca cristão e pró-Americano da Etiópia. Em 1974, a Etiópia passa por uma revolução comunista, trocando o apoio dos Estados Unidos e do Ocidente pelo da União Soviética e do Oriente.
     Depois de 5 anos de paz entre Eritreia e Etiópia, os dois países entram num novo conflito destrutivo que decorreu entre 1998 e 2000, desta vez por razões fronteiriças. O Tribunal Permanente de Arbitragem, em Haia, determina de novo uma interpretação dos acordos, muito detalhados e quase centenários, datando da época colonial, sobre a fronteira, chegando a uma decisão em Abril de 2002, aceite pela Eritreia mas não pela Etiópia. 
     A ameaça de guerra ainda persiste e a fronteira é, actualmente, patrulhada pelos capacetes azuis da ONU.

Ferrovia da Eritreia, construída durante o período colonial italiano.

Cultura:
     A região onde se localiza a Eritreia foi, tradicionalmente, um cruzamento para o comércio em todo o mundo. Por este motivo a influência de diversas culturas pode ser vista na Eritreia. Hoje em dia as influências mais óbvias na capital, Asmara, são as italianas. Existem pequenos cafés que servem bebidas tradicionais de Itália, com uma clara concentração da influência colonial italiana, misturada com o estilo de vida tradicional tigrínio. Nas aldeias da Eritreia essas mudanças não são tão evidentes.
     A vestimenta tradicional da Eritreia é bastante variada, com mulheres das etnias das planícies tradicionalmente vestidas com roupas coloridas, enquanto os tigrínios vestem, tradicionalmente, trajes brancos e brilhantes. Nas etnias de origem muçulmana apenas as mulheres de tribos árabes, ou rashaida, mantêm uma tradição, cobrindo os seus rostos.

DesportoOs desportos mais populares no país são o futebol e o ciclismo. Nos últimos anos, atletas eritreus aumentaram o sucesso pelo mundo fora.
Praticamente único no continente africano, o Tour da Eritreia, cuja primeira corrida foi criada pelos italianos em 1946, é uma corrida de bicicleta com origem nas quentes praias desérticas de Massawa, até à estrada das montanhas, com os vales precipitados e as falésias da capital, Asmara, de onde continuam a descer as planícies orientais da zona Gash-Barka, regressando a Asmara pelo lado sul.

Cerimónia do Café - Uma das partes mais conhecidas da cultura da Eritreia é a "cerimônia do café": O café é feito torrando o café verde sobre gughin em brasas, num braseiro. Depois dos grãos torrados, é dada a cada participante uma oportunidade de provar o fumo aromático. Segue-se a trituração dos grãos, tradicionalmente  num pilão de madeira. A borra de café é então colocada numa vasilha especial, chamada jebena, e fervida.
     Quando o café ferve através do pescoço da jebena, ele é derramado dentro de um outro recipiente para arrefecer. De seguida, volta a ser  colocado na jebena. Para servir o café da jebena, um filtro feito de crina de cavalo é colocado no bico da jebena, a fim de  impedir que o café escape. O anfitrião serve o café para todos os participantes, movendo a jebena inclinada sobre uma bandeja com pequenos copos, sem alça, (chamados finjal), sem parar, até que cada copo esteja cheio. Inevitavelmente, um pouco de café cai para fora do copo, mas isso é feito para evitar que a borra de café contamine a fermentação. A primeira rodada de café chama-se awel, a segunda kale'i, e a terceira bereka ('ser abençoado'). A cerimónia de café pode também incluir queima de incenso tradicional, tais como franquincenso ou goma-arábica.

Culinária - A principal comida tradicional da culinária da Eritreia é o guisado (stew), servido com injera (feitas a partir de teff, trigo ou sorgo, semelhante a uma esponja, uma panqueca levemente azeda), e hilbet (pasta feita de legumes, principalmente, lentilha, e feijões fava). A culinária eritreia e etíope (especialmente na metade norte dos dois países) são bastante semelhantes, devido à história comum dos dois países. 
     Os hábitos alimentares da Eritreia variam regionalmente. Nas terras altas, a injera é a dieta básica e a comida diária entre os tigrínios. Ao comer, os convivas geralmente partilham o alimento num grande tabuleiro colocado no centro de uma mesa baixa. Inúmeras injeras são colocadas sobre esta bandeja e cobertas com vários guisados picantes. feitos de carne, frango, ou vegetais.


Principais recursos naturais:
Ouro, potássio, zinco, cobre, sal. Possivelmente petróleo e gás natural.


Datas comemorativas:
Dia da Independência - 24 de Maio - Celebra a data da independência, da Etiópia, em 1993.

Ver


Símbolos nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional - Ertra, Ertra, Ertra ("Eritreia, Eritreia, Eritreia");
Insígnia da Força aérea da Eritreia.



Insígnia da Força Aérea da Eritreia



Capital:                                                                       Língua oficial:
Asmara                                                                       Não tem. Línguas mais usadas: Árabe, tigrínio e inglês


Vista parcial de Asmara, capital da Eritreia


Moeda oficial:                                                             Tipo de Governo:
Nakfa                                                                         Governo provisório


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
28 de Maio de 1993


Organizações / Relações internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • CEN-SAD - Comunidade dos Estados Sahelo-Saharianos;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • COMESA - Mercado Comum da África Oriental e Austral;
  • Grupo dos 77 - Nações em desenvolvimento;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • IRENA - Agência Internacional para as Energias Renováveis;
  • LEA - Liga dos Estados Árabes (observador);
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • MNA - Movimento dos Países Não-Alinhados;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • PCA - Tribunal Permanente de Arbitragem;
  • UA - União Africana;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas;
  • ANWFZ - Tratado Africano para a Formação de uma Zona Livre de Armas Nucleares;
  • BAD - Banco Africano de Desenvolvimento;
  • WIPO - Organização Mundial da Propriedade Intelectual.

Fonte:
Wikipedia, a enciclopédia livre.