Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Espanha

Reino de España
Reino de Espanha


Brasão de Armas
Bandeira





















Localização:
Europa, Europa Meridional, Península Ibérica, Europa Ocidental, Nação transcontinental.


Origem / Pequeno resumo histórico:
Etimologia - O nome Espanha deriva de Hispânia, nome com o qual os romanos designavam geograficamente a Península Ibérica. O nome Ibéria era o nome que os gregos davam à península, embora houvesse outras designações dadas pelos povos antigos. A constituição de 1876 adopta, pela primeira vez, o nome Espanha.
História - Os primeiros humanos chegaram à Península Ibérica, no território da actual Espanha, há 35 mil anos. No período histórico o território foi invadido e colonizado por celtas, fenícios, cartagineses, gregos e cerca de 218 a.C., a maior parte da Península Ibérica começou a formar parte do Império Romano, sendo o Rio Ebro a fronteira entre a Espanha romana e cartaginesa.

Teatro Romano em Mérida (UNESCO)
   
     Durante a Segunda Guerra Púnica, uma expansão do Império Romano capturou colónias comerciais cartaginesas ao longo da costa do Mediterrâneo, entre 210 e 205 a.C..Os romanos levaram quase dois séculos para completar a conquista da Península Ibérica, apesar de terem o controlo de boa parte dela há mais de 600 anos. O domínio romano era unido pela lei, idioma e as estradas romanas.

Aqueduto de Segóvia, importante obra de
construção civil romana (UNESCO)

     No Século VIII, quase toda a Península Ibérica foi conquistada (711-718) por exércitos de mouros muçulmanos provenientes principalmente do norte da África. Essas conquistas fizeram parte da expansão do Califado Omíada. Apenas uma pequena área montanhosa no noroeste da península conseguiu resistir à invasão inicial muçulmana.
     As contínuas disputas entre muçulmanos e cristãos tiveram, como consequência, a Reconquista Cristã, começando no Século VIII com a resistência cristã no norte de Espanha e através dos séculos seguintes com o avanço dos reinos cristãos para o sul, culminando com a conquista de Granada e com a expulsão dos últimos mouros em 1492. Durante este período, os reinos e principados cristãos desenvolveram-se notavelmente, incluindo os mais importantes: a Coroa de Castela e o Reino de Aragão. A união destes dois reinos através do casamento, em 1469, da Rainha Isabel I de Castela com o Rei Fernando II de Aragão levou à criação do Reino da Espanha. A unificação das coroas de Aragão e Castela lançou as bases para a Espanha moderna e para o Império Espanhol.
     O Império Espanhol expandiu-se até incluir grande parte da América, ilhas na região Ásia-Pacífico, áreas da Itália, cidades do Norte de África, bem como partes do que hoje são parte de França, Alemanha, Bélgica, Luxemburgo e Países Baixos. Foi o primeiro império do qual se dizia que "o Sol nunca se punha".


Ilustração do desembarque de Cristóvão Colombo
em São salvador, nas Bahamas, em 1492.
A chamada "Era dos Descobrimentos" foi marcada por explorações ousadas por mar e por terra, a abertura de novas rotas comerciais pelos oceanos, conquistas e os primórdios do colonialismo europeu. Juntamente com a chegada dos metais preciosos, especiarias, luxos e novas plantas agrícolas, exploradores espanhóis trouxeram o conhecimento do Novo Mundo e desempenharam um papel de liderança na transformação da compreensão europeia do mundo. O florescimento cultural testemunhado é agora referido como o "Século de Ouro Espanhol". A ascensão do Humanismo, da Reforma Protestante e de novas descobertas geográficas levantaram questões abordadas pelo movimento influente intelectual agora conhecida como a Escola de Salamanca.
     A chamada Guerra Civil Espanhola foi um conflito bélico deflagrado após um fracassado golpe de estado de um sector do exército contra o governo legal e democrático da Segunda República Espanhola. A guerra civil teve início após um pronunciamento dos militares rebeldes, entre e 18 de Julho de 1936, e terminou em 1 de Abril de 1939, com a vitória dos militares e a instauração de um regime ditatorial de carácter fascista, liderado pelo general Francisco Franco.
     Com a morte de Franco, em Novembro de 1975, Juan Carlos assumiu o cargo de Rei de Espanha e de Chefe de Estado, em conformidade com a lei. Com a aprovação da nova Constituição Espanhola de 1978 e a restauração da democracia, o Estado descentralizou muito da sua autoridade para as regiões com governo local e criou uma organização interna baseada em comunidades autónomas.
     Depois da restauração da democracia, o PSOE converteu-se em um dos grandes partidos do governo. Sob comando de Felipe González, o PSOE assumiu a tarefa de governar a Espanha entre 1982 (quando obteve uma contundente maioria no Congresso) e 1996, um dos mandados mais longos da história moderna da Espanha.

Rei Juan Carlos I
Rei Filipe VI
















     No dia 2 de Junho de 2014, o Rei Juan Carlos I renunciou a favor do seu filho, Felipe de Bourbon., Príncipe das Astúrias. É a primeira vez em mais de 50 anos que um rei abdica do trono em Espanha.
     No dia 19 de Junho de 2014, Felipe de Bourbon foi investido como Rei Filipe VI de Espanha.


Cultura:
     A Espanha é conhecida pelo seu património cultural diversificado, tendo sido influenciado por muitas nações e povos ao longo de sua história. A cultura espanhola tem suas origens nas culturas ibérica, celta, celtibera, latina, visigótica, católica romana, e islâmica.
     A definição de uma cultura nacional espanhola tem sido caracterizada pela tensão entre o estado centralizado, dominado nos últimos séculos por Castela, e muitas regiões e povos minoritários. Além disso, a história da nação e de seu ambiente mediterrânico e atlântico desempenharam papéis importantes na formação de sua cultura. Depois da Itália, a Espanha é o país com o maior número de Patrimónios da Humanidade da UNESCO no mundo.

Miguel de Cervantes
Literatura - Devido à diversidade histórica, geográfica e de gerações, a literatura espanhola tem passado por um grande número de influências e é muito diversificada. Alguns grandes movimentos literários podem ser identificados dentro dela.
Miguel de Cervantes é, provavelmente, o autor mais famoso de Espanha, e a sua obra "Dom Quixote" é considerada a mais emblemática no cânone da literatura espanhola e um clássico, fundador da literatura ocidental.

Música - A música espanhola é muitas vezes considerada exterior como sinónimo de flamenco, um género musical do oeste da Andaluzia que, ao contrário da crença popular, não é muito comum fora dessa região.
     Vários estilos regionais de música folclórica abundam em Aragão, Catalunha, Valência, Castela, País Basco, Galiza e Astúrias. Pop, rock, hip hop e heavy metal também são populares.
     No campo da música clássica, a Espanha produziu uma série de compositores notáveis como Isaac Albéniz, Manuel de Falla e Enrique Granados e cantores e artistas como Plácido Domingo, José Carreras, Montserrat Caballé, Alicia de Larrocha, Alfredo Kraus, Pablo Casals, Ricardo Viñes, José Iturbi, Pablo de Sarasate, Jordi Savall e Teresa Berganza.

Palácio das Artes Rainha Sofia, em Valência.

     Em Espanha existem mais de 40 orquestras profissionais, incluindo a Orquestra Sinfónica de Barcelona, a Orquestra Nacional da Catalunha, a Orquestra Nacional de Espanha e a Orquestra Sinfónica de Madrid. As casas de ópera mais importantes incluem o Teatro Real, o Gran Teatre del Liceu, o Teatro Arriaga, o Palácio Euskalduna e o Palácio das Artes Rainha Sofia.
O mais popular instrumento musical tradicional, a guitarra, tem origem em Espanha.

Arquitectura Uma cidade importante da província fundada pelos romanos e com uma infraestrutura extensa da Era Romana, Córdova, tornou-se a capital cultural, incluindo uma arquitectura em estilo árabe, feita durante a época do Califado Omíada. A arquitectura de estilo árabe mais tarde continuou a ser desenvolvida sob as sucessivas dinastias islâmicas, terminando com os Nasridas, que construíram o seu famoso complexo do palácio, em Granada.

Interior da Mesquita de Córdova, capital do
califado de Al-Andalus (UNESCO)
     A chegada do modernismo na área académica produziu grande parte da arquitectura do Século XX. Um estilo influente no centro de Barcelona, conhecido como modernismo catalão, produziu uma série de importantes arquitectos, entre os quais Gaudí. O estilo internacional foi liderado por grupos como o GATEPAC. A Espanha está actualmente a viver uma revolução na arquitectura contemporânea e arquitectos espanhóis como Rafael Moneo, Santiago Calatrava, Ricardo Bofill, entre outros, ganharam renome mundial.

ArtesArtistas espanhóis têm sido altamente influentes no desenvolvimento de vários movimentos artísticos europeus. Devido à diversidade histórica, geográfica e de gerações, a arte espanhola tem conhecido um grande número de influências.
     A herança mourisca em Espanha, especialmente na Andaluzia, é ainda hoje evidente em cidades como Córdova, Sevilha e Granada. Influências europeias incluem Itália, Alemanha e França, especialmente durante os períodos barroco e neoclássico.

Desporto - Os desportos em Espanha são dominados, principalmente, pelo ciclismo, o futebol, o basquetebol, o ténis, o andebol, e pelos desportos motorizados, principalmente o Motociclismo.
     A partir dos Jogos Olímpicos de 1992, disputados na cidade de Barcelona, o país entrou na elite mundial em diversos desportos. Tem como maior ídolo no desporto Alberto Contador, vencedor do Tour de France 2007 e 2009, além do Giro d'Italia 2008 e Vuelta a España também em 2008, entre outras vitórias em voltas. É considerado o melhor ciclista da actualidade, e um dos grandes nomes do desporto de todos os tempos.
     Espanha é a actual campeã de futebol mundial, tendo vencido o Campeonato Mundial de Futebol de 2010, na África do Sul e tornou-se a única selecção de futebol a ser campeã do Mundo e bi-campeã da Europa, tendo vencido o Campeonato Europeu de 2008, realizado na Suíça e na Áustria e o Campeonato Europeu de 2012, realizado na Polónia e Ucrânia.
     Em Espanha conserva-se a tradição de realizar diversos espectáculos taurinos, tais como os encierros (corridas nas quais as pessoas correm junto aos touros pelas ruas) e as ‘‘corridas de toros’‘ (touradas), que fazem parte da identidade de numerosas festas populares. As praças de touros com maior relevância na temporada taurina são a de "Las Ventas" em Madrid, a "Monumental" em Pamplona, a "Maestranza" em Sevilha e a de Valência.


Principais recursos naturais:
Carvão, lignite, ferro, urânio, mercúrio, pirites, fluorita, gesso, zinco, chumbo tungsténio, cobre e potássio.


Datas comemorativas:
12 de Outubro - Festa Nacional - Dia da Hispanidade - Festa da Virgem do Pilar (Padroeira da Hispanidade) - Dia das Forças Armadas. (Comemorado no dia do aniversário da descoberta da América por Cristóvão Colombo, em 1492).

Símbolos nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional - Marcha Real;
Insígnia da Força Aérea Espanhola.

Insígnia da Força Aérea Espanhola


Lema:
Plus Ultra - (do latim: “Mais além”)


Imagens de Madrid, capital de Espanha


Capital:                                                                       Língua oficial:
Madrid                                                                        Espanhol (ou castelhano)


Línguas com estatuto co-oficial:
Catalão, valenciano, galego, basco e aragonês


Moeda oficial:
Euro (adesão em 1 de Janeiro de 2002)


Tipo de Governo:
Monarquia constitucional e Democracia parlamentarista


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
14 de Dezembro de 1955


Data de admissão na UE (União Europeia):
1 de Janeiro de 1986


Organizações / Relações internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • UE - União Europeia;
  • AG - Grupo Austrália;
  • AIE - Agência Internacional de Energia;
  • APCE - Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa;
  • BCIE - Banco Centro-Americano de Integração Económica (membro extra-regional);
  • CI-A - Conferência Ibero-Americana;
  • CERN - Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear;
  • CLAD- Centro Latino-Americano de Administração para o Desenvolvimento;
  • CLIMS - Comité de Ligação Internacional dos Organismos Militares Sociais;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • FPIA - Fórum Parlamentar Ibero Americano;
  • GFN - Grupo de Fornecedores Nucleares;
  • ICO - Organização Internacional do Café;
  • IHO - Organização Hidrográfica Internacional;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • IRENA - Agência Internacional para as Energias Renováveis;
  • IRU - União Internacional de Transportes Rodoviários;
  • IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • NATO / OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte;
  • OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações;
  • OIV - Organização Internacional da Vinha e do Vinho;
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • OSCE - Organização para a Segurança e Cooperação na Europa;
  • PCA - Tribunal Permanente de Arbitragem;
  • PSIWMD - Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas de Destruição Maciça;
  • TA - Tratado da Antárctida;
  • TEDH - Tribunal Europeu dos Direitos Humanos;
  • TPI - Tribunal Penal Internacional;
  • UIC - União Internacional dos Caminhos-de-Ferro;
  • UPM - União para o Mediterrâneo;
  • UIHJ - União Internacional dos Oficiais de Justiça;
  • UL - União Latina;
  • UME - União Monetária Europeia;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas;
  • OEI - Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, Ciência e Cultura;
  • RAMSAR - Convenção sobre as Zonas Húmidas de Importância Internacional;
  • UNIDROIT - Instituto Internacional para a Unificação do Direito Privado;
  • WIPO - Organização Mundial da Propriedade Intelectual.


Património Mundial (UNESCO):
  • Alhambra, Generalife e Albaicín, em Granada (1984, 1994); 
  • Catedral de Burgos (1984); 
  • Centro Histórico de Córdova (1984, 1994);
  • Mosteiro e Sítio do Escorial (1984);

Catedral de Burgos (UNESCO)





Biblioteca do Mosteiro do Escorial (UNESCO



















  • Obras de Antoni Gaudí (Parque Güell, Palácio Güell, Casa Milà, Casa Vicens, cripta e fachada da Natividade do Templo Expiatório da Sagrada Família, Casa Batlló e cripta da Colónia Güell) (1984, 2005);
  • Caverna de Altamira e Arte rupestre paleolítica do Norte de Espanha (1985, 2008); 
  • Monumentos de Oviedo e do Reino das Astúrias (1985, 1998); 
  • Cidade Antiga de Ávila com suas Igrejas Extra-muros (1985); 
  • Cidade antiga de Santiago de Compostela (1985); 
  • Cidade Antiga de Segóvia e seu Aqueduto (1985); 

Templo da Sagrada Família, Barcelona (UNESCO)



Caverna de Altamira - Pintura rupestre (UNESCO)

















  • Arquitectura Mudéjar de Aragão (1986, 2001); 
  • Cidade Antiga de Cáceres (1986); 
  • Cidade Histórica de Toledo (1986); 
  • Parque Nacional de Garajonay (1986); 
  • Catedral, Alcazar e Arquivo das Índias em Sevilha (1987); 
  • Cidade Antiga de Salamanca (1988); 
  • Mosteiro de Poblet (1991); 
  • Caminho de Santiago de Compostela (1993); 
  • Conjunto Arqueológico de Mérida (1993); 
  • Mosteiro Real de Santa Maria de Guadalupe (1993); 
  • Parque Nacional de Doñana (1994, 2005); 

Cidade Histórica de Toledo (UNESCO)




Mosteiro de Poblet (UNESCO)
















  • Bolsa da Seda de Valência (1996); 
  • Cidade Histórica Fortificada de Cuenca (1996); 
  • Las Médulas (1997); 
  • Mosteiros de San Millán de Yuso e de Suso (1997); 
  • Palácio da Música Catalã e Hospital de Sant Pau, Barcelona (1997); 
  • Pirenéus - Monte Perdido (1997, 1999) (sítio transfronteiriço com a França); 
  • Arte rupestre da Bacia Mediterrânica da Península Ibérica (1998); 
  • Sítios de Arte Rupestre do Vale do Coa e Siega Verde (1998, 2010); 
  • Universidade e Bairro Histórico de Alcalá de Henares (1998); 
  • Ibiza, Biodiversidade e Cultura (1999); 
  • San Cristóbal de La Laguna (1999);

Mosteiro de San Millán de Yuso (UNESCO)





Cidade Histórica fortificada de Cuenca (UNESCO)















  • Igrejas Românicas Catalãs do Vall de Boí (2000); 
  • Conjunto Arqueológico de Tarraco (2000); 
  • Palmeiral de Elche (2000); 
  • Muralhas Romanas de Lugo (2000); 
  • Sítio Arqueológico de Atapuerca (2000); 
  • Paisagem Cultural de Aranjuez (2001); 
  • Conjuntos Monumentais Renascentistas de Úbeda e Baeza (2003); 
  • Ponte da Biscaia (ponte de transporte mais antiga do Mundo - 1893) (2006); 
  • Parque Nacional do Teide (2007); 
  • Torre de Hércules (2009); 
  • Paisagem Cultural da Serra de Tramuntana (2011);
  • Património do mercúrio: Almadén e Idrija (2012) (as maiores minas de mercúrio do mundo, partilhado com a Eslovénia).

Torre de Hércules (UNESCO)
Palmeiral de Elche (UNESCO)

















Património Oral e Imaterial da Humanidade (UNESCO):
  • O Mistério de Elche (2008) - O Mistério de Elche é uma encenação teatral que recria a morte, Assunção e coroação da Virgem Maria, e que tem sido levada a cena ininterruptamente na Basílica de Santa Maria de Elche desde meados do Século XV. O drama é inteiramente cantado, sendo composto por dois actos. É executado nos dias 14 e 15 de Agosto de cada ano. O texto é maioritariamente em língua valenciana, com alguns trechos em latim e é composto por secções solistas, à maneira medieval, que alternam com polifonia, nos estilos barroco e renascentista.
  • Patum de Berga (2008) - O Patum de Berga é uma festa religiosa popular que preservou as suas raízes pagãs, apesar de certos elementos terem sido reinterpretados pelo Catolicismo. Consiste num conjunto de representações teatrais e numa variedade de efígies colocadas nas ruas, e tem acompanhado as procissões do Corpo de Cristo desde a Idade Média. Entre as efígies contam-se turcos, cavalos, demónios, dragões, águias, anões de cabeças enormes, e gigantes; todas as figuras se reúnem na dança final, o Tirabol.
  • Tribunais "irrigantes" da costa do Mediterrâneo espanhol: O Conselho de Sábios da planície de Múrcia e o Tribunal da Água da planície de Valência (2009) - Tribunais "irrigantes" são instituições legais de gestão da água, habituais do Mediterrâneo espanhol, que remontam aos dias de Al Andalus (Séculos IX a XIII). Os dois mais importantes, o Conselho de Sábios da Huerta de Múrcia e o Tribunal da Água da planície de Valência, são reconhecidos pela lei espanhola.
  • O Silvo Gomero, linguagem de assobio da Ilha La Gomera (Ilhas Canárias) (2009) - A linguagem de assobio da Ilha La Gomera (Ilhas Canárias), chamada assobio de Gomera,  são assobios feitos com o idioma falado pelos ilhéus: o espanhol. Passou de mestre para discípulo através dos séculos, e é a única linguagem assobiada do mundo totalmente desenvolvida e praticada por uma grande comunidade (mais de 22.000 pessoas);
  • Flamenco (2010) - Flamenco é uma expressão artística da fusão da música vocal, da arte da dança e do acompanhamento musical. O berço do flamenco é a região da Andaluzia, no sul da Espanha, mas também tem raízes em outras regiões, como Múrcia e Estremadura;
  • Canto da Sibila em Maiorca (2010) - O canto da Sibila é interpretado na noite de 24 de Dezembro em todas as igrejas da ilha de Maiorca, durante a Matinas de Natal. É cantado por um menino ou uma menina, para acompanhar pelo menos dois acólitos (meninos ou meninas). Durante a música eles percorrem a igreja em procissão, até o refrão. A cantora anda com uma espada erguida na frente de seu rosto e os acólitos transportam velas acesas à sua volta;
  • Os Castelos humanos (2010) - Os "castelos" são torres humanas, geralmente erguidas para celebrar as festividades anuais em vilas e cidades da Catalunha, por grupos tradicionais que mantém este costume. Tradicionalmente, os "castelos" são feitos na praça em frente da fachada principal da Câmara Municipal onde se realiza. De pé, subindo por cima de um ombro para o outro, as "torres humanas" podem ser compostas entre seis a dez "pisos";
  • Festa de "La Mare de Deu de la Salut"de Algemesí (2011) - A festa da "Mare de Deu de la Salut" (Nossa Senhora da Saúde) é comemorado na cidade de Algemesí, localizada na província de Valência. Em 7 e 8 de Setembro de cada ano, cerca de 1.400 pessoas participam nas apresentações de teatro, shows de música e apresentações de dança organizadas nos quatro bairros históricos da cidade: Valência, La Muntanya, Santa Barbara e La Capella;
  • Festa dos Pátios de Córdoba (2012) - No início de Maio, e durante 12 dias, tem lugar em Córdoba a festa dos pátios. As casas de pátio são vivendas colectivas habitadas por várias famílias (ou grupos de vivendas individuais), que possuem um pátio em comum e estão situadas no bairro velho da cidade. Os pátios estão decorados com muitas variedades de plantas, atractivas e dispostas com cuidado. O festival inclui dois eventos principais: O Concurso de Pátios e o Festival dos Pátios de Córdoba;
  • Falcoaria, uma herança humana viva (2012) (partilhado com mais 12 países);
  • Dieta Mediterrânica (2013) (partilhado com mais 6 países).

Fonte:
Wikipedia, a enciclopédia livre