Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lockheed C-130H Hércules (terceira parte)

Ver  Lockheed C-130H Hércules (primeira parte)
Ver Lockheed C-130H Hércules (segunda parte)

(continuação)

Imagem 8

Percurso em Portugal (continuação):
     Entre as missões de rotina estão as de transporte aéreo geral, transporte aéreo táctico, largada de pára-quedistas e de carga e as espectaculares largadas de carga a baixa altitude, por meio de pára-quedas, com o avião a voar a menos de dois metros do solo. Executam igualmente missões de patrulhamento marítimo, busca e salvamento, combate a incêndios florestais e apoio logístico às Forças Armadas Portuguesas e Forças da NATO.

Imagem 10: Emblema da
Esquadra 501, definitivo.

Imagem 9: Emblema da
Esquadra 501, original.







     






     A participação dos aviões e tripulações da Esquadra 501 na competição internacional de transporte aéreo táctico organizada anualmente pela USAF, tem sido brilhante. Com efeito, no Volant Rodeo de 1986 conquistou os troféus de melhor equipa estrangeira, melhor aterragem de precisão e melhores lançamentos, vencendo 7 dos 8 troféus em disputa. Em 1992 e 1993, com a competição na nova designação, Airlift Rodeo, conquistou o troféu de melhor equipa estrangeira.
     O desempenho do C-130H no ataque a incêndios florestais teve início em 1982, após a aquisição de dois kits de lançamento de produto retardante – MAFFS (Modular Airborne Fire Fighting System). A partir de 1983 a Esquadra 501 passou a estar integrada no Sistema Nacional para Ataque a Incêndios, realizando um grande número de missões de combate a incêndios. Embora o nível de eficiência nestas operações tenha sido elevado, o seu número foi diminuindo a partir do fim da década, até cessar por completo, já em meados dos anos 90. Infelizmente, "a FAP foi forçada pelos governos corruptos a desistir de apoiar as populações...em detrimento de privados e outros interesses obscuros..." - Ler artigo sobre os incêndios em Portugal no Blog "O Adamastor", de um homem livre que ama a sua pátria, o Tenente-Coronel Piloto-Aviador na Reforma, João José Brandão Ferreira.
     Apesar do nível de eficiências destas operações ter sido elevado, o seu número foi diminuindo a partir do fim da década de oitenta, até à sua total desactivação, em meados da década de noventa.

Imagem 11

     Os Lockheed C-130 Hércules mantiveram a pintura com que chegaram a Portugal, usada pela USAF no Sudoeste Asiático, sobre a qual foram aplicadas as insígnias, marcas e numeração da FAP. Apresentam-se em camuflado de castanho (FS 30.219) e dois verdes (FS 34.079 e FS 34.102), com as superfícies inferiores numa pintura contínua em cinzento claro (FS 36.622), onde a delimitação entre as superfícies superiores e inferiores da fuselagem central, da fuselagem dos motores e dos tanques externos de combustível se faz de uma forma ondulada. O nariz do avião encontra-se pintado em preto anti-reflexo (FS 37.038).
     A Cruz de Cristo, sobre círculo branco com 37 cm de diâmetro, está colocada nos lados da fuselagem. A bandeira nacional, sem escudo, com 50 cm de comprimento, encontra-se em ambos os lados do estabilizador vertical. Os números de matrícula encontram-se sobre a bandeira nacional em algarismos pretos (FS 37.038) com 15 cm de altura. As marcas de visualização dos hélices estão pintadas em ambos os lados das pás, numa faixa amarela (FS 33.538) com 10 cm de largura.
     A partir de 1993 alteraram as matrículas iniciais para 16801 a 16806.


Imagem 12: Antigo emblema da
Manutenção conjunta do
C-130H e do Falcon 20 (BA6)
     
Imagem 13: Emblema da Manutenção do C-130,
anos 90, BA6


     A partir de 2011 (?), a frota de C-130H / C-130H-30 da FAP recebeu uma nova pintura, mais consentânea com as exigências das missões internacionais em que Portugal se integra, especialmente a nível da NATO, em cinza integral baixa-visibilidade, obedecendo a normas NATO.
     O nível de desempenho da Esquadra 501 valeu  a atribuição da Medalha de Ouro de Serviços Distintos em Fevereiro de 1991. Em 2013 completou o seu 36° aniversário.
     Fruto das suas valências, a Esquadra 501 está qualificada para executar missões nos mais diversificados, complexos e delicados cenários de empenhamento, independentemente da permissividade do teatro de operações.
     A Esquadra 501 Bisontes – é, pela natureza alargada das tarefas a seu cargo, uma das unidades que mais (e mais longe) se desloca para o desempenho das suas múltiplas funções além fronteiras.


Imagem 14: C-130H com a pintura mais recente.

     Em Dezembro de 2011, a frota Lockheed C-130H / H-30 Hércules completou 70.000 horas de voo. Uma média de mais de 11.600 horas de voo por cada aeronave, valores consideráveis para os quase 37 anos de serviço nas mais diversas missões, em Portugal e espalhadas pelo mundo.


Fontes (terceira parte):

Sem comentários :

Enviar um comentário