Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Filipinas

Repúbliká ng̃ Pilipinas
Republic of the Philippines
República das Filipinas


Brasão de Armas



Bandeira


















Localização:
Ásia, Sudeste asiático, Nação transcontinental.
País mega-diverso (faz parte do conjunto de países que albergam o maior índice de biodiversidade da Terra).


Origem / Pequeno resumo histórico:
     A primeira grande corrente migratória chegou a esta região através do sul. Acredita-se que esses imigrantes eram de origem indonésio-caucasiana, possuindo um grau de civilização mais adiantado que as tribos nativas. Posteriormente ocorreram mais duas grandes correntes migratórias. Cada nova corrente impeliu os habitantes originais a procurarem terra ao norte.
     A corrente migratória seguinte, cujo apogeu foi no Século XIV, veio do reino madjapahit e trouxe consigo a religião muçulmana.
     Fernão de Magalhães, um navegador português a serviço do Rei de Espanha, durante a primeira viagem de circum-navegação, descobriu as ilhas em 1521. Ele procurava uma rota alternativa para comercializar especiarias, e chamou à região San Lázaro.
     Ao chegar à Ilha de Cebu, convenceu o chefe local Humabon e outros 800 nativos a converterem-se ao catolicismo. Posteriormente, tentou a mesma acção na Ilha Mactan, liderada por Lapu-Lapu, onde faleceu em 21 de Abril.
     Em 1543, uma expedição de colonização, liderada por Ruy López de Villalobos, renomeou duas ilhas (Leyete e Samar) para Filipinas, em homenagem ao Rei Filipe II. Este nome passou a ser usado para dar o nome a todo o arquipélago. A partir de 1571 os espanhóis estabeleceram a sua capital em Manila, garantindo o seu domínio por mais de trezentos anos.
     As Filipinas foram um importante entreposto comercial espanhol na Ásia, especialmente pelo comércio de tecidos e especiarias. No Século XVII, os espanhóis construíram várias escolas, entre as quais a Universidade de Santo Tomás (1611). O fim da rota comercial deu-se em 1815, quando a Espanha ficou enfraquecida com a seguida perda do México e a guerra com os Estados Unidos.
     O herói nacional das Filipinas, o linguista, escritor, artista, médico e cientista José Rizal iniciou um movimento de reforma. Ao mesmo tempo, uma sociedade secreta chamada Katipunan, chefiada por Andrés Bonifácio, começou a revolução, dando aos espanhóis a desculpa que precisavam para executar Rizal, que se encontrava no exílio em Dapitan, Mindanao (sul do país). Foi trazido a Manila para julgamento e condenado à morte, embora não se tenha prova a sua participação na revolta.
     A sua morte, porém, estimulou ainda mais essa revolução, levando o General Emílio Aguinaldo a declarar, em 12 de Junho de 1898, a independência do país e a proclamar a primeira República das Filipinas.
     Apesar da resistência dos residentes, as Filipinas acabaram sob o domínio dos Estados Unidos, que exploraram o comércio e mantiveram centros educacionais sustentados por protestantes. Com o tempo, os novos ocupantes passaram a ser bem recebidos. Mesmo assim, a religião católica predominou.
     Em 4 de Julho de 1946, a Independência do arquipélago foi reconhecida pelos EUA, apesar da influência se ter mantido: os filipinos lutaram a favor dos americanos nas guerras da Coreia e do Vietname e da predominância da língua inglesa (com significativa presença da língua espanhola e outras línguas nativas).

Igreja em Quiapo, Filipinas

Cultura:
Religião - Historicamente, as duas principais religiões das Filipinas são o islamismo e o catolicismo. O islamismo foi introduzido no sul do país através da expansão comercial dos árabes no sudeste da Ásia no Século XIV.      Em 1521, com a chegada de Fernão de Magalhães, foi introduzida a religião católica no norte do país, limitando a expansão do islamismo. No início do Século XX também foram organizadas duas igrejas locais independentes: a Igreja filipina Independente (Aglipay) em 1902 e a Igreja de Cristo (Iglesia ni Cristo) em 1914. Actualmente, a maior parte da população das Filipinas professa a fé Católica.
Gastronomia - Existe uma variedade grande de comidas típicas (sinigang, adobo, relyeno, pakesin, etc), podendo a mesma ser considerada como um apanhado das melhores receitas de origem espanhola, malásia, chinesa e americana, dando um carácter próprio filipino. Os pratos com frutos do mar são largamente utilizados.
As bebidas típicas - Tuba e Lambanog- são confeccionadas com o líquido obtido do coqueiro ou da palmeira.
     Quem já esteve nas Filipinas costuma dizer que o seu povo tem pela vida o mesmo amor que sente pela boa comida. Devido à qualidade da terra e a no mar, os pratos são típicos e delicados e não possuem os condimentos das restantes cozinhas asiáticas, exceptuando-se as especialidades dos Bicolanos, llongos, llocanos, Cebuanos, Capampangan, árabes, e chineses.
     Em Manila são numerosos os restaurantes que servem pratos da culinária chinesa, japonesa, tailandesa, turca, mexicana e vietnamita. Quem tem pressa pode dirigir-se às tascas ambulantes, que servem pizzas e hambúrgueres, ou às cadeias de estabelecimentos que fornecem "fast-food".


Principais recursos naturais:
Ouro, prata, ferro, cobre, chumbo, cromite, níquel, manganésio, gesso, enxofre, argila, calcário, mármore, sílica, fosfato, gás natural e energia geotérmica.


Datas comemorativas:
Dia Nacional - 12 de Junho - Comemora o dia em que o general Emílio Aguinaldo declarou a independência, da Espanha, e proclamou a Primeira República nas Filipinas, em 1898. Após 48 anos de ocupação, os Estados Unidos reconheceram a independência da República das Filipinas em 4 de Julho de 1946, mas os filipinos quiseram manter a data da primeira independência como o seu dia nacional.



Símbolos nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional - Lupang Hinirang ("Terra Amada" ou, de forma mais literal, "Terra Escolhida");
Insígnia da Força Aérea das Filipinas (FAF).


Insígnia da FAF
Insígnia de baixa visibilidade da FAF









Lema:
"Maka-Diyos, Maka-Tao Makakalikasan at Makabansa" - ("Por Deus, Pelo Povo, Pela Natureza e Pelo País")


Vista parcial de Manila, capital das Filipinas


Capital:                                               Línguas oficiais:
Manila                                                 Filipino e inglês (outros 19 idiomas regionais são reconhecidos)


Moeda oficial:                                      Tipo de Governo:
Peso filipino (PHP)                              República presidencialista


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
24 de Outubro de 1945


Organizações / Relações internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • APEC - Cooperação Económica Ásia-Pacífico;
  • ASEAN - Associação de Nações do Sudeste Asiático;
  • ACFTA - Área Livre de Comércio entre a Associação de Nações do Sudeste Asiático e a China;
  • CLA - Cúpula do Leste Asiático;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • G20 (países em desenvolvimento);
  • Grupo dos 77 - Nações em desenvolvimento;
  • IHO - Organização Hidrográfica Internacional;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • ICO - Organização Internacional do Café;
  • IRENA - Agência Internacional para as Energias Renováveis;
  • IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • MNA - Movimento dos Países Não-Alinhados;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações;
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • PCA - Tribunal Permanente de Arbitragem;
  • PSIWMD - Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas de Destruição Maciça;
  • TACSA - Tratado de Amizade e Cooperação no Sudeste Asiático;
  • UL - União Latina;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas;
  • RAMSAR - Convenção sobre as Zonas Húmidas de Importância Internacional;
  • WIPO - Organização Mundial da Propriedade Intelectual.


Património Mundial (UNESCO):
  • Parque Natural e Marinho dos Recifes de Tubbataha (1993, 2009);
  • Igrejas Barrocas das Filipinas (1993);
  • Arrozais em terraços das Cordilheiras das Filipinas (1995);
  • Cidade Histórica de Vigan (1999);
  • Parque Nacional do rio subterrâneo de Puerto Princesa (1999).

Igreja Barroca de San Agustin de Paoay, uma das quatro igrejas
Barrocas das Filipinas (UNESCO)


Arrozais em terraços das Cordilheiras das Filipinas (UNESCO)


Património Oral e Imaterial da Humanidade (UNESCO):
  • Hudhud, os cantares da comunidade Ifugao (2008) - O Hudhud consiste em cantos narrativos tradicionalmente desempenhadas pela comunidade Ifugao, conhecida pelos seus terraços de arroz, que se estendem sobre as terras altas da ilha do norte do arquipélago filipino. É praticado durante as épocas da sementeira e da colheita do arroz, e em vigílias e rituais fúnebres. Pensa-se que teve origem antes do Século VII. O Hudhud compreende mais de 200 cantos, cada um dividido em 40 episódios. A recitação completa pode durar vários dias.
  • Darangen, épico do povo Maranao do Lago Lanao (2008) - O Darangen é uma música épica antiga, que engloba uma riqueza de conhecimento do povo Maranao, na região do Lago Lanao, em Mindanao. Esta ilha mais ao sul do arquipélago das Filipinas é a pátria tradicional dos Maranao, um dos três principais grupos muçulmanos do país. O Daragen é composto por 17 ciclos e um total de 72.000 linhas, celebrando vários episódios da história do povo Maranao e as tribulações dos seus heróis míticos.

Fonte:
Wikipedia, a enciclopédia livre

Sem comentários :

Enviar um comentário