Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Geórgia

საქართველო
(Sakartvelo)
Geórgia


Bandeira


Brasão de Armas



















Localização:
Europa, Europa de Leste, Ásia, Sudoeste Asiático, Nação transcontinental.


Origem / Pequeno resumo histórico:
Etimologia – Os georgianos chamam-se a si mesmos de ქართველები (kartvelebi) e a sua língua de ქართული (kartuli). Estes termos derivam do nome de um lendário chefe pagão, Kartlos, de quem se diz ser o "pai" dos georgianos.
     A denominação estrangeira Geórgia, utilizada por grande parte das línguas do mundo, vem do persa گرجی (Gurji), por intermédio do árabe Jurj. Este por sua vez sofreu influência do prefixo grego γεωργ- (geōrg-), o que levou a se acreditar que o nome derivaria do seu santo padroeiro, São Jorge, ou do termo grego para cultivar, γεωργία (gueōrguía).
     Na antiguidade, os habitantes da Geórgia eram também denominados iberos, em razão do Reino da Ibéria, que muito confundia os geógrafos antigos, que pensavam que este termo só se aplicava aos habitantes da península Ibérica.

História – Dois reinos georgianos na Antiguidade, Ibéria a leste do país e Cólquida ao oeste foram as primeiras nações da região a adoptarem o cristianismo (317 e 523, respectivamente). Egrisi presenciou batalhas frequentes entre os rivais o Império Bizantino e a Pérsia Sassânida, os quais pretendiam conquistar a Geórgia de tempos a tempos, cuja autonomia foi restaurada em 1801.
     Em 1803, o czar Alexandre anexou a Geórgia. Em 1917 a Geórgia tornou-se autónoma. Em 1924 a Geórgia foi invadida pelos russos e em 1936 foi transformada numa das repúblicas da União Soviética.
     Com a queda da União Soviética, a independência da Geórgia foi proclamada em 9 de Abril de 1991. No entanto, a data nacional é 26 de Maio, porque então foi eleito o primeiro presidente.
     Entre 1995 e 2000 ocorreram inúmeros conflitos separatistas com as repúblicas da Ossétia do Sul e da Abecásia, que posteriormente se tornaram subdivisões da Geórgia.


Cultura:
     A cultura georgiana evoluiu ao longo de bastante tempo, chegando até os dias de hoje com uma vasta tradição literária baseada na língua georgiana e em seu singular alfabeto. Isso acabou por criar um fortíssimo sentimento de identidade nacional, que ajudou a preservar o orgulho e o patriotismo georgiano mesmo após sucessivas guerras e longos períodos de ocupação estrangeira.
     A literatura georgiana tradicional foi bem forte durante os primeiros anos do cristianismo, uma vez que existem obras pré-cristãs como Amiraniani, uma colecção de epopeias georgianas da antiguidade que data do segundo milénio a.C..
     Durante a Idade Média, a escrita georgiana atingiu seu esplendor com o surgimento de Shota Rustaveli, um dos grandes escritores medievais e autor de "O Cavaleiro na Pele de Pantera" (georgiano: ვეფხისტყაოსანი, Vepjis Tqaosani), o poema épico nacional da Geórgia.
     Já durante a época moderna, desde o Século XVII em diante, a cultura georgiana foi influenciada amplamente pelas inovações culturais provenientes da Europa. A primeira mostra de pintura de georgianos foi fundada na década de 1620 na Itália. A primeira na Geórgia foi fundada em 1709, em Tbilisi.
     No ano de 19 de Novembro de 1896 foi inaugurado o primeiro cinema na Geórgia, na capital, Tbilisi. O primeiro documentário cinematográfico georgiano (O dia de Akaki Tsereteli em Racha-Lechkumi) foi rodado em 1912 por Vasil Amashukeli (1886-1977), enquanto que o primeiro filme nacional (Kristine) foi filmado em 1916 por Alexandre Tsutsunava (1881-1955). A Academia Estatal de Arte de Tbilisi foi fundada em 1917.
     A cultura georgiana sofreu em demasia durante a época soviética devido à política de russificação que foi combatida por muitos georgianos. Desde a independência da Geórgia em 1991, o ressurgimento da cultura tomou força apesar das dificuldades económicas e políticas da era pós-soviética.
     Em 2007, a Geórgia teve sua primeira participação no Festival Eurovisão com um canção cuja letra visa a integração na Europa. "My story" foi interpretada pela famosa cantora Sopho Khalvashi e ficou em 12º lugar na final celebrada em Helsinkia.

Gastronomia – Uma lenda da Geórgia diz que, quando Deus estava a criar o mundo, fez uma pausa para comer e tropeçou nas montanhas do Cáucaso, deixando cair parte da comida, tornando esta terra abençoada pelos restos da comida celestial.
     A culinária da Geórgia usa uma grande variedade de carnes, peixe e vegetais, mas o que a faz especial são ingredientes como as nozes, ervas aromáticas, malagueta, sementes de romã, vários tipos de queijos e pickles. Um condimento ou molho tradicional é o tkemali, feito com ameixas ácidas. Mas, para além da comida, a Geórgia é famosa pelos seus vinhos e conhaques.
     Na Geórgia, primeira coisa que se oferece a um convidado é khachapuri, um pastel recheado com um queijo ligeiramente salgado. Depois, vem o lobio, uma preparação com feijão fresco, tirado da vagem, que é um prato sempre presente na mesa georgiana. Num jantar de amigos, cada pessoa tem um pequeno prato no qual vai comendo as diferentes iguarias que estão sempre presentes; e a festa dura sempre muito tempo, com muitas “saúdes” e canções.
     O pão está sempre presente na mesa e o mais tradicional é o "shotis puri", em forma de meia-lua e assado num forno vertical, o tonê (equivalente ao tandoor).


Principais recursos naturais:
Cobre, manganés e ouro.


Datas comemorativas:

Dia da Unidade Nacional - 9 de Abril - Relembra o trágico dia onde crianças georgianas foram mortas por militares soviéticos na Avenida Rustaveli, em Tbilisi.



Dia da Independência - 26 de Maio - Celebra o dia em que o Conselho Nacional da Geórgia declarou a independência dos georgianos e a criação da República Democrática da Geórgia, em 1918.



Símbolos nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional - "Tavisupleba" (em georgiano თავისუფლება) ("Liberdade");
Insígnia da Força Aérea da Geórgia.


Insígnia da Força Aérea da Geórgia


Lema:
ძალა ერთობაშია - "A Força está na União."


Capital:                                                                                   Língua oficial:
Tbilisi                                                                                     Georgiano


Centro histórico de Tbilisi, capital da Geórgia


Moeda oficial:                                                                     Tipo de Governo:
Lari (GEL)                                                                             República semi-presidencialista


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
31 de Julho de 1992


Imagem da Catedral de Sameba, em Tbilisi, sede do
Patriarcado da Igreja Ortodoxa Georgiana.


Organizações / Relações internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • GUAM - Organização para a Democracia e o Desenvolvimento Económico;
  • APCE - Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa;
  • BERD - Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • IRENA - Agência Internacional para as Energias Renováveis;
  • IRU - União Internacional de Transportes Rodoviários;
  • IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais;
  • ICDO - Organização Internacional de Protecção Civil;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • OCEMN - Organização de Cooperação Económica do Mar Negro;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações;
  • OIV - Organização Internacional da Vinha e do Vinho;
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • OSCE - Organização para a Segurança e Cooperação na Europa;
  • PEV - Política Europeia de Vizinhança;
  • PSIWMD - Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas de Destruição Maciça;
  • TEDH - Tribunal Europeu dos Direitos Humanos;
  • TPI - Tribunal Penal Internacional;
  • UIC - União Internacional dos Caminhos-de-Ferro;
  • UIHJ - União Internacional dos Oficiais de Justiça;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas.


Património Mundial (UNESCO):
  • Monumentos Históricos de Mtscheta (1994);
  • Catedral de Bagrati e Mosteiro de Ghélati (1994);
  • Svanétia, região histórica no noroeste da Geórgia (1996).

Catedral ortodoxa de Svetitskhoveli (Mtscheta) (UNESCO)

Aldeia de Soli, na região de Svanétia (UNESCO)


Património Oral e Imaterial da Humanidade (UNESCO):
  • Canto polifónico georgiano (2008);
  • Kvevris, o antigo método georgiano de vinificação (2013).


Fonte:
Wikipedia, a enciclopédia livre.