Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AE – Alberti, Leon Battista

Enciclopédia Altimagem de Fotografia



(continuação)

Nota: quando os símbolos se encontram ao centro, dois ou mais dos termos seguintes possuem a mesma simbologia.







    

AE – (Automatic Exposure) – Iniciais da expressão inglesa "Automatic Exposure" - Exposição Automática. É uma função que automatiza a exposição de uma máquina fotográfica. Existem, essencialmente, três modos de exposição automática: com prioridade à abertura, com prioridade à velocidade e modo "programa". Quando se opta por usar a prioridade à abertura, o fotógrafo selecciona o diafragma que pretende usar e a câmara regula automaticamente a velocidade para uma exposição correcta - situação ideal para explorara profundidade de campo. Quando se escolhe usar a prioridade à velocidade, o fotógrafo regula a velocidade de obturação e a câmara regula automaticamente o diafragma para a exposição adequada - ideal para situações em que se quer tirar partido da velocidade para fotografar, por exemplo, uma acção muito rápida. Relativamente ao modo programa, as câmaras que têm esta funcionalidade regulam, normalmente, a velocidade de obturação e o diafragma para uma correcta exposição de forma automática (recorrendo sempre a uma velocidade segura para que a fotografia não fique tremida). Para além dos modos de AE enunciados, existem outros, mas diferem de câmara para câmara.  Ver EXPOSIÇÃO AUTOMÁTICA.


AE LOCK – Abreviatura de “Automatic Exposure Lock”. Ver BLOQUEIO DA EXPOSIÇÃO.


AEROGRAFIA – (Airbrushing) – Método de retoque de fotografias a preto e branco ou a cores que consiste em pulverizar tinta sob pressão em determinadas zonas do negativo ou da cópia. Uma aerografia de boa qualidade exige muita perícia.





AERÓGRAFO – (Airbrush) – Instrumento usado para realizar pinturas ou pulverizar, através do ar proveniente de uma fonte de ar comprimido, gerado por compressor de ar ou latas de spray. (ver imagem 1).

Imagem 1: Aerógrafo de acção simples e sucção




   

AF – (Autofocus) – Funcionalidade de algumas câmaras fotográficas, em que a focagem da imagem é feita automaticamente pela câmara, por meio de sensores de infravermelhos.


AF LOCK – (Autofocus lock) – Bloqueio da focagem automática. Trava o comando do AF (Autofocus) quando se deseja desfocar o assunto do centro, ou do fundo, sem perder o plano de focagem.


AGÉLOU, JEAN (1878-1921) – Fotógrafo francês especializado em retrato e fotografia erótica e de nus. A maioria das suas fotos é do período entre 1910 e 1920. (ver imagem 2).

Imagem 2: Foto de Jean Agélou, obtida entre
1910 e 1917.





 

AGÊNCIA GAMMA – (Gamma Agency) – É uma agência de fotografia fundada em 14 de Novembro de 1966 por Hubert Henrotte, Raymond Depardon, Léonard de Raemy, Hugues Vassal, Gilles Caron e Jean Monteux. Mais tarde designada como Gamma Presse Images e Eyedea Presse, desde a sua criação difundiu o trabalho de mais de 6.000 fotógrafos.
A Agência Gamma encabeçou a geração de ouro do foto-jornalismo francês, cujas imagens premiadas de eventos mundiais ganhavam as capas da influente revista Paris Match e as primeiras páginas de jornais em todo o mundo. Françoise Demulder, da Gamma, tornou-se a primeira mulher fotógrafa a conquistar o prestigioso prémio Foto de Imprensa Mundial do Ano em 1976. Sua imagem vencedora mostrava refugiados palestinos fugindo de suas casas em chamas durante a guerra civil no Líbano.
Em 23 de Julho, 2009, Stephane Ledoux, CEO do grupo disse que a agência se encontrava prestes a encerrar as suas portas.
O grupo Eyedea pediu a falência de sua subsidiária Eyedea Presse (Agência Gamma) para o Tribunal do Comércio em 28 de Julho de 2009. Assim, o grupo Eyedea ficou em liquidação judicial perante o Tribunal Comercial de Paris. Em 2010 foi comprada pelo antigo proprietário, o fotógrafo François Lochon, que fundou a nova Agência Gamma-Rapho.
Ver DEPARDON, RAYMOND; Ver DE RAEMY, LÉONARD; Ver VASSAL, HUGUES; Ver CARON, GILLES; Ver MONTEUX, JEAN; Ver DEMULDER, FRANÇOISE; Ver AGÊNCIA GAMMA-RAPHO; Ver LOCHON, FRANÇOIS.


AGÊNCIA GAMMA-RAPHO – (Gamma-Rapho Agency) –  Agência fotográfica francesa fundada em 2010 pelo fotógrafo francês François Lochon, antigo proprietário da Agência Gamma. Ver LOCHON, FRANÇOIS; Ver AGÊNCIA GAMMA.


AGÊNCIA FOTOGRÁFICA – (Photographic Agency) – Uma agência fotográfica é uma empresa que gere o trabalho e a distribuição de imagens de repórteres fotográficos.


AGÊNCIA MAGNUM – (Magnum Agency) – A Magnum (nome retirado de uma enorme garrafa de champanhe) é uma cooperativa de fotógrafos francesa, que surgiu em 1947, liderada pelo fotógrafo húngaro Robert Capa (1913 – 1954) que já fotografava em cenários de guerra desde os anos 30 (ver imagem 3). Participaram também da Agência Magnum o fotógrafo polaco David Seymour “O Chim” (1911 – 1956), o francês Henri Cartier Bresson e o inglês George Rodger.
A Magnum sempre foi uma agência em forma de cooperativa onde são os fotógrafos associados que decidem os rumos e as orientações dos trabalhos a serem realizados. A partir dessa experiência, diversas agências em todo o mundo foram surgindo, como as agências Gamma e Viva, da França, a Agência Tio, surgida em 1958 na Suécia e a Agência F4, de São Paulo. Ver CAPA, ROBERT; Ver CARTIER-BRESSON, HENRY; Ver SEYMOUR, DAVID; Ver RODGER, GEORGE.


Imagem 3: "Morte de um miliciano" ou "Soldado caído".
Foto de Robert Capa (Agência Magnum), em 5 de Setembro de 1936,
no início da Guerra Civil Espanhola.


AGÊNCIA RAPHO – (Rapho Agency) – Agência fotográfica francesa fundada em 1933. Comprada pela Hachette Filipacchi Médias em 2000, foi vendida ao fundo de investimento Green Recovery em Dezembro de 2006, que reuniu Rapho, Gamma e outras agências de fotografia num fundo de participação chamado Eyedea. Em 2010, após a falência da Eyedea, François Lochon adquiriu activos e criou uma nova empresa, a Gamma-Rapho, a fim de impulsionar a actividade. Ver AGÊNCIA GAMMA-RAPHO; Ver LOCHON, FRANÇOIS.  


AGÊNCIA SYGMA – (Sygma Agency) – Agência fotográfica francesa fundada em 14 de Maio de 1973 por Hubert Henrotte. Foi desactivada em 2010. Foi uma das principais agências internacionais entre as décadas de 1970 e 1990.


AGÊNCIA VU – Agência francesa criada em 1986 por Christian Caujolle e Zina Rouabah e tendo como accionista de referência o jornal “Libération”, a Agência VU quer ser uma agência de fotógrafos e não de fotografias, afirmando assim as identidades específicas que a compõem. Foi vendida em 1997 ao Grupo Abvent, liderado por Xavier Soule, especializado em design, arquitectura e armazenamento de imagens digitais.



   

AGENTES QUÍMICOS PARA FOTOGRAFIA – (Photographic Chemicals) – Produtos ou agentes químicos usados em diversas áreas da fotografia: Laboratório a Preto e Branco, Laboratório a Cores, Impressão de fotografias, recuperação de fotos antigas, como elementos constituintes do papel fotográfico e da película fotográfica e até na constituição de acessórios e peças para câmaras fotográficas. Na área do laboratório fotográfico tomam vários nomes, segundo a sua finalidade. Ver AGENTE ACELERADOR; Ver AGENTE CONSERVADOR; Ver AGENTE ELIMINADOR; Ver AGENTE FIXADOR; Ver AGENTE LIMITADOR; Ver AGENTE MOLHANTE; Ver AGENTE UMECTANTE; Ver AGENTES HUMEDECEDORES.  


AGENTE ACELERADOR – (Throttle Agent) – Só reage correctamente em presença de um álcali ou base. São os aceleradores do processo de revelação, cuja função básica é de expandir a emulsão para que o processo de óxido redução ocorra mais rapidamente. Cada base seleccionada, conforme seu grau de alcalinidade produz maior ou menor grau de actividade da solução reveladora. Os álcalis normalmente utilizados são: Borato de Sódio, Metaborato de Sódio, Carbonato de Sódio, e por fim, Hidróxido de Sódio. Ver BORATO DE SÓDIO; Ver METABORATO DE SÓDIO; Ver CARBONATO DE SÓDIO; Ver HIDRÓXIDO DE SÓDIO.


AGENTE CONSERVADOR – (Conservative Agent) – Quando os agentes reveladores são dissolvidos em água e a solução é exposta ao ar, o oxigénio reage com eles, formando produtos de oxidação. Essa reacção ocorre, por exemplo, quando o revelador é colocado em banheiras. Por outro lado, o próprio oxigénio da água reage com as substâncias reveladoras, decompondo-as. O preservador normalmente utilizado para retardar essa decomposição é o Sulfito de Sódio. A presença de álcalis muito fortes também oxida os agentes reveladores. Por isso, dependendo do tipo de base utilizada em cada formula, a percentagem de sulfito varia proporcionalmente. Ver SULFITO DE SÓDIO.


AGENTE ELIMINADOR –  (Eliminator Agent) – Agente Eliminador de Hipossulfito: Banho que transforma o Hipossulfito de Sódio (fixador) em sais facilmente solúveis em água, reduzindo o tempo de lavagem e contribuindo para a eliminação do Hipossulfito das provas. O Sulfito de Sódio é usado vulgarmente como auxiliar de lavagem. A Kodak tem um auxiliar de lavagem chamado Kodak Hypoclearing Agent e a Ilford produz o Ilfobrom Archival Wash Aid. Ver ELIMINADOR DE HIPOSSULFITOS.


AGENTE FIXADOR – (Fixer Agent) – Solução química aquosa capaz de formar iões complexos, muito solúveis com o ião de prata. Possui a capacidade de remover os iões de prata da emulsão fotográfica, de molde a "fixar" a imagem no papel ou na película (daí o nome "fixador"). A função do fixador é retirar da emulsão os cristais de prata (haletos) não sensibilizados pela exposição e, portanto, não transformados em prata metálica na revelação. A base das soluções fixadoras é o Tiossulfato de Sódio, pois este elemento reage com os cristais de prata formando complexos solúveis em água, provocando desta forma a dissolução dos haletos de prata não expostos e a preservação da imagem.
Por ser responsável pela preservação da imagem, deve-se estar atendo a este processo, pois a permanência de resíduos provenientes desta reacção, ao longo do tempo acabarão por se decompor, atacando e manchando a imagem de prata metálica.
O Tiossulfato de Sódio e o Tiossulfato de Amónia são os seus principais componentes activos. São também utilizados o Cianeto de Potássio, o Sulfocianeto de Potássio e a Amónia (Amoníaco). Ver HIPO; Ver TIOSSULFATO DE SÓDIO; Ver TIOSSULFATO DE AMÓNIO.


AGENTE LIMITADOR (ou  AGENTE RETARDADOR) – (Limit Agent) – A acção dos agentes reveladores sobre as áreas da emulsão não expostas à luz precisa ser controlada, afim de que não haja produção de véu alem do normal (Véu de Base ou Densidade de VELATURA) e para que a transparência do negativo seja aceitável. O Brometo de Potássio é normalmente utilizado para esta função. Ver BROMETO DE POTÁSSIO.


AGENTE MOLHANTE –  (Wetting Agent) – Solução aquosa contendo um produto capaz de baixar a tensão superficial da água. Utiliza-se imediatamente antes da secagem de películas e papéis, com vista a facilitar a distribuição uniforme da água de lavagem pela superfície da emulsão. Os detergentes, principalmente os usados para lavar vidros, são óptimos agentes molhantes. No mercado existem produtos mais adequados, concebidos para reduzirem ao mínimo a formação de manchas.


AGENTE REDUTOR – (Reducing Agent) – Ingrediente activo de uma emulsão reveladora. Transforma cristais de haleto de prata expostos em prata metálica escura. Também chamado agente revelador. Princípio activo da solução reveladora. Transforma os cristais de haleto de prata expostos em prata metálica escura. Também denominado por agente revelador. Os mais utilizados são: Metol, Fenidona e Hidroquinona, na fotografia em Preto e Branco, e os compostos CD3 ou CD4 (Color Agent - Merck) na fotografia a cores. Ver ÁCIDO SULFÚRICO; Ver METOL; Ver FENIDONA; Ver HIDROQUINONA.


AGENTE REVELADOR – Ver REVELADOR.


AGENTE UMECTANTE – (Wetting Agent) – Aditivo de tipo detergente, como Kodak Photofloo, Estabilizador ou Rinse Final utilizada após a lavagem do filme ou papel fotográfico. Reduz a tensão superficial da água remanescente sobre o material processado, acelerando a secagem e impedindo a formação de “marcas de água”. Ver AGENTES HUMEDECEDORES.


AGENTES HUMEDECEDORES – (Wetting Agents) – Compostos utilizados em quantidades muito pequenas, destinados a reduzir a tensão superficial da água. São geralmente utilizados depois da lavagem da película, para ajudar a escorrer e evitar a formação de manchas de secagem. Ver AGENTE UMECTANTE.



   

AGFA – AGFA-Gevaert N.V. – É uma empresa multinacional belga que desenvolve, produz e distribui produtos e sistemas digitais, assim como analógicos, na área de processamento e reprodução de imagens. A empresa é basicamente dividida em 2 áreas: healthcare (saúde) e gráfica. A empresa oferece também produtos para a área cinematográfica.
A AGFA foi fundada em 1867, como "Aktiengesellschaft für Anilinfabrikation" (Empresa de produção de anilina) na antiga cidade Rummelsburg (atualmente Lichtenberg, próximo de Berlim). Os fundadores eram Paul Mendelssohn Bartholdy (filho do compositor Felix Mendelssohn Bartholdy) e Carl Alexander von Martius. Durante décadas foi um dos maiores fabricantes europeus de filmes fotográficos, ficando atrás somente dos seus maiores concorrentes: Kodak e Fujifilm. Produziu igualmente algumas câmaras fotográficas. Em 2004 a AGFA vendeu a sua divisão fotográfica que, apesar de ser o seu braço forte, estava insustentável, retirando-se assim do mercado.
     Como a AGFA ainda produz filmes fotográficos para o mercado de fotografia aérea, ainda é possível comprar filmes fotográficos AGFA produzidos para uso em câmaras de consumo. Estes são vendidos pela Lomography Society e pela e Rollei e são marcados em conformidade. Estas empresas compram o filme de fotografia aérea da AGFA e transformam-no em formatos fotográficos para consumo, cortando e empacotando. A partir de 2012, esses produtos possuem um pequeno logotipo AGFA discretamente na respectiva embalagem, mas não são vendidos como produtos de marca AGFA.
     A AGFA deixou completamente de fazer filmes fotográficos. Originalmente foram feitos pela empresa italiana Ferrania, actualmente fechada. Os filmes AgfaPhoto são agora produzidos pela japonesa Fujifilm para a Lupus Imaging Media.
     A partir de 2010 a AGFA dividiu-se em duas empresas distintas: a Agfa-Gevaert, voltada para a área gráfica, e a Agfa Health Care, direccionada para produtos de diagnóstico por imagem. (ver imagens 4 e 5). Ver AGFAPHOTO; Ver BARTHOLDY, PAUL MENDELSSOHN; Ver GEVACOLOR; Ver PRODUTOS AGFA.


Imagem 4: Logotipo da Agfa


Imagem 5: Sede da Agfa em Mortsel, Bélgica.



AGFACHROME – Película reversível fotográfica a cores (diapositivos/slides), da AGFA. Eram produzidos três tipos de película Agfachrome a cores nos formatos de 135 mm e 120: RSX II 50, RSX II 100 e RSX II 200. Os números correspondiam à sensibilidade da película. (ver imagem 6).
     A parte belga sobrevivente da AGFA, a AgfaPhoto, continua produzindo a emulsão a partir do RSX II 200. Ela é aplicada a uma base de poliéster para a fotografia aérea. O Aviphot Chrome 200 PE1 resultante é produzido com os habituais formatos 120 e 135, fabricados pela empresa alemã Maco Film Company e distribuídos como Rollei Digibase CR 200 Pro. Ver PELÍCULAS AGFACHROME.


Imagem 6: Rolo de película 135 mm Agfachrome RSX II 50.




AGFACOLOR – Agfacolor é uma série de produtos para fotografia a cores fabricados pela AGFA (Alemanha).A Agfacolor foi introduzida em 1932 como uma versão de "placa" (filme de reversão), semelhante ao processo “Autochrome”. No final de 1936 a AGFA introduziu o filme transparente “Agfacolor-Neu” (New Agfacolor). Esta técnica baseia-se na patente nº 253335, do Dr. Rudolf Fischer, de 1911, em Berlim. O novo filme Agfacolor era semelhante ao Kodak Kodachrome, introduzido em 1935. (ver imagem 7). Ver PELÍCULAS AGFACOLOR.



Imagem 7: Caixa de película a cores de 135 mm Agfacolor.


AGFAPHOTO –  A AgfaPhoto GmbH é uma empresa belga, sobrevivente da original Agfa-Gevaert. Fabrica câmaras, películas e outros equipamentos fotográficos. Foi fundada em 2004 após a AGFA vender a sua divisão fotográfica Consumer Imaging.. Possui fábricas na Bélgica, Holanda, Alemanha e Itália.
A AGFA (a antiga empresa-mãe, que se fundiu com a fabricante do filme Gevaert em 1964) conhecida durante muitos anos como um produtor de produtos fotográficos orientado para o consumidor, incluindo filmes, papéis fotográficos e câmaras. No entanto, um ano depois da sua fundação, a AgfaPhoto pediu a falência. 
     As várias marcas de produtos foram então licenciadas para diversas empresas pela AgfaPhoto, tornando-se assim numa empresa europeia, a AgfaPhoto Holding GmbH. Os serviços de minilab e produtos químicos são agora, por exemplo, vendidos pela empresa A&O Imaging Solutions. A película da marca AgfaPhoto Vista é vendida pela empresa Lupus Imaging & Media. (ver imagem 8).
Ver AGFA - AGFA-Gevaert N.V.; Ver PELÍCULAS AGFA A PRETO E BRANCO.


Imagem 8: Logotipo da Agfaphoto.



AGFAPHOTO HOLDING GmbH – Ver AGFAPHOTO.


AGFA SCALA 200x – Película reversível fotográfica a preto e branco (diapositivos), da Agfa. Tinham a sensibilidade de 200 ISO e era produzida nos formatos de 135 mm, 120 e folhas de película 4 x 5.


 

AGITAR – (shake) – Movimentar as soluções químicas sobre a superfície do filme ou papel durante o processamento, de maneira que entre em contacto com a superfície.


AGITAÇÃO – (agitation) – Método utilizado durante a revelação para assegurar o contacto da solução com a superfície da emulsão. É particularmente importante durante a revelação de negativos e positivos, assim como nas fases iniciais da fixação. É fundamental seguir rigorosamente as indicações do fabricante quanto ao grau de agitação exigida por certas soluções/materiais, visto o contraste ser passível de ficar seriamente afectado pela mesma.


AGLUTINANTES –  Ver ADITIVOS.


ÁGUA – (water) – Principal componente utilizado na constituição dos agentes reveladores e fixadores para fotografia. É com certa quantidade de água a certas temperaturas que os variados produtos químicos são misturados, a fim de resultar no componente final.


ÁGUA OXIGENADA – H2O2 – Produto químico oficialmente conhecido como peróxido de hidrogénio, é uma solução de cor clara ou azul-claro, sendo facilmente  solúvel em água. Em fotografia é utilizada em branqueadores e em eliminadores de tiossulfato. Como regra de segurança é necessária uma boa ventilação durante a sua utilização, a fim de reduzir os riscos de inflamação. Deve guardar-se em recipientes hermeticamente fechados e em ambiente escuro e fresco.



ÅNGSTROM – O Ångstrom (símbolo Å) é uma unidade de medida de comprimento utilizada principalmente para expressar comprimentos de onda, distâncias moleculares, atómicas, etc. É expresso pela letra sueca "Å" e equivale a dez mil milionésima parte do metro (0.000,000,000,1 metro). Um centímetro equivale a 100 milhões de angstroms. O Ångstrom é a décima parte do Nanómetro. Ambos são unidades de medidas dos comprimentos de onda do espectro electromagnético, utilizado em fotografia  e na óptica para medir a luz do espectro visível. Ver COMPRIMENTO DE ONDAVer ESPECTRO ELECTROMAGNÉTICO; Ver ESPECTRO VISÍVEL; Ver LUZ; Ver NANÓMETRO.



 
 
AJUDANTES DE CAMPO – (field helpers) – Acessórios usados pelos fotógrafos nas sessões fotográficas, especialmente fora de estúdio, que os ajudam a obter as fotografias mais facilmente ou com maior conforto.









AJUSTE B (BULB) – Ajuste na escala de velocidades do obturador a fim de o manter aberto durante o tempo necessário para fotografar cenas com poucas condições de luz, como ruas e avenidas de grande movimento durante a noite, por exemplo. Ver B; Ver BULB.


AJUSTE DE COR – (adjust color) - Ver ANALISADOR DE COR.


AJUSTE DE CONTROLE DE EXPOSIÇÃO – (exposure bracketing) – Ou Bracketing de Exposição. Método para fotografar a mesma cena com exposições maiores e menores que a indicada pelo fotómetro, com o propósito de obter imagem com exposição ideal. A sua utilidade é óbvia quando é difícil determinar exactamente quais os parâmetros que serão os melhores para a obtenção de uma fotografia. Também é útil para lidar com fortes contrastes entre luz e sombra que não podem ser obtidos com pormenores numa única imagem: podemos mesclar no computador vários disparos de modo que a imagem final contém mais informação do que cada um deles separadamente. Tecnicamente, pode ser conseguido alterando a velocidade do obturador  ou a abertura do diafragma, ou com câmaras digitais, a velocidade ISO ou as suas combinações. Ver BRACKETING DE EXPOSIÇÃO; Ver FOTOGRAFIA HDR.


AJUSTE DE FOCO IV – (focus adjustment IV) – Linha vermelha em um dos lados da objectiva assinalando um ajuste de foco, usado ao se fotografar fotos em filme infravermelho.


AJUSTE DE INFRAVERMELHO – (adjustment IR) – As objectivas intercambiáveis das câmaras profissionais, apresentam em sua superfície externa superior, ponto ou traço vermelho, gravado ao lado da seta principal, indicativa de metragem/diafragma utilizado. Quando se fotografa com filme Infravermelho, devemos transferir a distância focalizada em metros ou pés para esta marcação em vermelho.


ALBERTI, LEON BATTISTA – (1404-1472) – Arquitecto, pintor, músico, escultor, teórico de arte e humanista italiano que, pela primeira vez, apresentou e definiu a chamada "roda de cores" na sua obra "De Pictura", em 1436, representando o sistema das quatro cores primárias na sua época: o amarelo, o verde, o azul e o roxo. Foi o primeiro registo do que mais tarde se convencionou chamar "Círculo Cromático", que representa as cores primárias usadas em fotografia. Ver CÍRCULO CROMÁTICO.

(continua)