Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Grécia

Ελληνική Δημοκρατία
(Ellīnikī́ Dīmokratía)
República Helénica


Bandeira

Brasão de Armas







Localização:
Europa, Europa Ocidental, Europa Meridional, Península Balcânica, Nação transcontinental.


Origem / Pequeno resumo histórico:
Etimologia - Grego é o nome pelo qual os romanos designavam os helenos, habitantes da Hélade, que ficou conhecida como Grécia. A forma portuguesa Grécia, castelhana, romena e italiana Grecia, francesa Grèce, inglesa Greece, alemã Griechenland são um eruditismo calcado sobre o latim Græcia (com o etnónimo respectivo grego, griego, grec, greco, grec, greek e griechisch, do latim græcus')'.
O todo em latim foi de início designado como Hellas, - adis, Hélade. Assim, por exemplo, em Plínio, o Velho. Em Cassiodoro já ocorre a forma latina Hellada. Esta, por sua vez, é empréstimo do gr. Hellás - ádos, que desde Ésquilo, designa a totalidade das regiões habitadas pelos helenos.

História - A antiga Grécia Continental fazia limites com a Ilíria a norte, a leste com o Egeu, a oeste com o mar Jónico, e a sul com o Mediterrâneo. Tinha mais de 100.000 km². Herdeira da Grécia Antiga, a nação grega moderna tem uma longa e rica história durante o qual estendeu sua influência ao longo de três continentes: Europa, Ásia e África. O litoral do Egeu foi o cenário do surgimento de algumas das primeiras civilizações da Europa, como a minóica (em memória do lendário Rei Minos) e a micênica.
     Foi neste pequeno país que a civilização ocidental começou há mais de dois mil e oitocentos anos. Naquele tempo a civilização grega estava dividida em cidades-Estado (pólis) que dominavam grandes áreas das margens do Mediterrâneo e do mar Negro. Após seu desaparecimento, ressurgiu por volta de 700. a.C., até ser conquistada militarmente por Roma em 168 a.C.
     No entanto, a superioridade da cultura grega gerou uma profunda influência na cultura romana. Por isso, o filósofo Horácio fez a seguinte afirmação: Graecia capta ferum victorem cepit (em português: "A Grécia, embora capturada, manteve seu selvagem conquistador em cativeiro"). Na verdade, na parte oriental do império, a língua e a cultura gregas continuaram a ser muito influentes na sociedade.
     O Império Bizantino estabeleceu-se como um dos maiores impérios da história da Europa e abrangia um território que ia do Mar Adriático e ao sul da Itália e o Oriente Médio. Constantinopla destacou-se como uma segunda Roma, como o centro herdeiro das civilizações da Grécia e da Roma antigas. O império grego de Bizâncio também foi um dos impérios mais longos da história: existiu durante mais de 1000 anos, do Século V ao XV.
     Após a queda de Constantinopla, a capital do antigo Império, os otomanos invadiram a Grécia, assim como o resto da Península Balcânica. Os gregos viveram durante 350 anos sob domínio turco, que terminou em 1821, com a Guerra da Independência Grega.
     Ao recuperar a independência parcial do seu território, a Grécia tornou-se um Estado europeu moderno, sendo o nobre Ioannis Kapodistrias o primeiro-ministro da Grécia moderna.
     No final do Século XIX, os gregos continuaram a batalha contra os turcos para continuar libertando territórios anteriormente ocupados, como a Tessália e Epiro. Durante as Guerras dos Balcãs, a Grécia conseguiu também recuperar a Trácia e a Macedónia. Em 1922 deu-se a invasão grega da Ásia Menor durante a Guerra Grego-Turca, que acabou com a derrota e expulsão de 1,5 milhões de gregos, e terminando com 4000 anos de presença grega ininterrupta no leste do mar Egeu.
     Durante a década de 1930, a Grécia foi arrastada pelo fascismo através do ditador Ioánnis Metaxás. Durante a Segunda Guerra Mundial, o país foi ocupado pelas Potências do Eixo (Alemanha nazi e Itália fascista) e nela se estabeleceu um governo colaboracionista. A ocupação nazi foi seguida pela Guerra Civil Grega, que terminou em 1949.
     Em 1952, o país aderiu à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN ou NATO) e, em 1981, à União Europeia (UE). Actualmente, a nação grega é definida como uma república parlamentar democrática que alcançou um desenvolvimento económico e social considerável.
     Em 2010 a Grécia, já castigada pela crise financeira de 2008-2009, foi o protagonista de uma crise de confiança que se espalhou por toda a União Europeia. O país então viu o crescente interesse que os investidores exigiram para comprar sua dívida e foi forçado a realizar reformas fiscais destinadas a reduzir o seu défice à custa do crescimento económico e do perigo de uma recaída na recessão, correndo o risco de ter que sair da zona euro.


Cultura:
     Os remanescentes físicos da cultura da Grécia clássica conservam-se principalmente em Atenas, Esparta, Micenas, Argos e outros locais, enquanto as esculturas e outros objectos de arte exibidos nos museus gregos (Nacional, de Heracleia, da Acrópole, etc.), e dos principais centros culturais do mundo constituem uma lembrança permanente da herança cultural helénica, que ainda continua viva na educação dos gregos.

Templo Partenon, na Acrópole de Atenas (UNESCO)

Literatura - Na Grécia moderna destacaram-se sobretudo os poetas. Adquiriu fama internacional Konstantinos Kaváfis, grego de Alexandria que escreveu cerca de duas centenas de poemas, inéditos até à sua morte. Comparado ao português Fernando Pessoa, seu contemporâneo e também marcado por uma nostalgia da antiga glória do seu país, Kaváfis é autor da frase "somos todos gregos".
     Destacam-se também Georgios Seferis, agraciado com o Prémio Nobel da Literatura em 1963; Angelos Sikelianos; Odysseus Elytis, que obteve o Prémio Nobel da Literatura em 1979; e Yannis Ritsos. O romancista de maior sucesso é o cretense Nikos Kazantakis, autor de “Zorba, o grego” e “A última tentação de Cristo”.
     Entre os músicos gregos com fama internacional destacam-se Manos Hadjidakis e Mikis Theodorakis. A busca e a sistematização do património musical popular, que é o objectivo básico de famosos músicos e pesquisadores, tem incentivado a criação de grande número de corais que participam de concursos internacionais.
     Depois da independência política, a arte grega inspirou-se inteiramente na arte ocidental. Entre os pintores figurativos destacam-se Iannis Moralis e Nicos Kontopulos; e entre os abstractos, Alexos Kontopulos e Iannis Spyrapulos. Na escultura devem ser mencionados Vassilakis Takis e Alex Mylona.
     Foi na Grécia Antiga, na cidade de Olímpia, que surgiram os Jogos Olímpicos da Antiguidade em homenagem aos deuses. Os gregos também desenvolveram uma rica mitologia. Até aos dias de hoje, a mitologia grega é referência para estudos e livros.
     A filosofia também atingiu um desenvolvimento surpreendente, principalmente em Atenas, no século V (Período Clássico da Grécia). Platão e Sócrates são os filósofos mais conhecidos deste período.


"Laocoonte e seus filhos", escultura em mármore,
aproximadamente de 40 a.C., de Agesandro, Atenodoro e
Polidoro, três escultores de Rodes (Museu do Vaticano)

Arte e arquitectura - A arte e a arquitectura das sociedades gregas vai desde o início da Idade do Ferro (Século XI a.C.) até ao final do Século I a.C. Antes disso (Idade do Bronze), a arte grega do continente e das ilhas (exceptuando-se Creta, onde havia uma tradição diferente chamada “arte minóica”) é conhecida como arte micénica, e a arte grega mais tardia, chamada de arte helenística, é considerada integrante da cultura do Império Romano (arte romana).
     Os gregos, inicialmente um conjunto de tribos relativamente autónomas que apresentavam factores culturais comuns, como a língua e a religião, instalaram-se no Peloponeso no início do primeiro milénio antes de Cristo, dando início a uma das mais influentes culturas da Antiguidade.
     Após a fase orientalista (de 1.100 a 650 a.C.), cujas manifestações artísticas foram inspiradas pela cultura mesopotâmica, a arte grega conheceu um primeiro momento de maturidade durante o período arcaico, que se prolongou até 475 a.C. Marcado pela expansão geográfica, pelo desenvolvimento económico e pelo incremento das relações internacionais, assistiu-se nesta altura à definição dos fundamentos estéticos e formais que caracterizarão as posteriores produções artísticas gregas.
     Após as guerras com os Persas, a arte grega adquiriu maior independência em relação às outras culturas mediterrânicas e expandiu-se para todas as suas colónias da Ásia Menor, da Sicília e de Itália (conjunto de territórios conhecidos por Magna Grécia).
     Protagonizado pela cidade de Atenas, sob o forte patrocínio de Péricles, o último período artístico da Grécia, conhecido por Fase Clássica, estendeu-se desde 475 a.C. até 323 a.C., ano em que o macedónio Alexandre Magno conquistou as cidades-estados do Peloponeso.

Imagem alusiva aos Jogos da I Olimpíada,
Atenas, em 1896.

Desporto - A Grécia, que recebeu as primeiras Olimpíadas modernas, tem uma longa tradição desportiva. A Selecção Grega de Futebol venceu o Euro 2004 disputado em Portugal contra a Selecção Portuguesa de Futebol no jogo final. O Campeonato grego de futebol é o maior campeonato de futebol profissional no país, composto por 16 equipes. O clubes mais bem sucedidos são o Olympiacos, Panathinaikos e AEK Atenas.
     Como local de nascimento dos Jogos Olímpicos, a Grécia recebeu recentemente as Olimpíadas de 2004 e os primeiros Jogos Olímpicos modernos, em 1896.


Vista parcial da Vila de Oia, na Ilha de Santorini, um dos
principais pontos turísticos do país


Principais recursos naturais:
Petróleo, ferro, bauxita, chumbo, zinco e níquel.


Datas comemorativas:
Dia da Independência - 25 de Março - Celebra a data da independência, do Império Otomano, em 1821;



Dia Nacional - 28 de Outubro - Celebra o aniversário do “Não” à invasão italiana, em 1940.



Símbolos nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional - "Imnos is tin Eleftherian" (em grego: Ύμνος εις την Ελευθερίαν, "Hino à Liberdade");
Insígnia da Força Aérea Helénica.

Insígnia da Força Aérea Helénica




Capital:                                                                       Língua oficial:
Atenas                                                                        Grego


Vistas parciais de Atenas, capital da Grécia




Moeda oficial:                                                             Tipo de Governo:
Euro (adopção em 1 de Janeiro de 2001)                    República parlamentarista


Data de admissão como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
25 de Outubro de 1945


Data de admissão como membro da UE (União Europeia):
1 de Janeiro de 1981


Organizações / Relações internacionais:

  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • UE - União Europeia;
  • UME - União Monetária Europeia;
  • AG - Grupo Austrália;
  • AIE - Agência Internacional de Energia;
  • APCE - Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa;
  • CERN - Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear;
  • CLIMS - Comité de Ligação Internacional dos Organismos Militares Sociais;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • ICO - Organização Internacional do Café;
  • GFN - Grupo de Fornecedores Nucleares;
  • IHO - Organização Hidrográfica Internacional;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • IRENA - Agência Internacional para as Energias Renováveis;
  • IRU - União Internacional de Transportes Rodoviários;
  • IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • NATO / OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte;
  • OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico;
  • OCEMN - Organização de Cooperação Económica do Mar Negro;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações;
  • OIV - Organização Internacional da Vinha e do Vinho;
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • OSCE - Organização para a Segurança e Cooperação na Europa;
  • PCA - Tribunal Permanente de Arbitragem;
  • PSIWMD - Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas de Destruição Maciça;
  • TEDH - Tribunal Europeu dos Direitos Humanos;
  • TPI - Tribunal Penal Internacional;
  • UIC - União Internacional dos Caminhos-de-Ferro;
  • UIHJ - União Internacional dos Oficiais de Justiça;
  • UPM - União para o Mediterrâneo;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas.


Património Mundial (UNESCO):
  • Templo de Apolo Epicuro em Bassae (1986);
  • Acrópole de Atenas (1987);
  • Sítio Arqueológico de Delfos (1987);
  • Mosteiros de Metéora (1988);

Monastério da Santíssima Trindade,
em Meteora (UNESCO)

  • Monte Athos (1988);
  • Monumentos Paleocristãos e Bizantinos de Tessalónica (1988);
  • Sítio Arqueológico de Epidauro (1988);
  • Cidade Medieval de Rodes (1988);

Avenida dos Cavaleiros, na cidade medieval de Rodes (UNESCO)

  • Sítio Arqueológico de Mistras (1989);
  • Sítio Arqueológico de Olímpia (1989);

Sítio Arqueológico de Olímpia, local onde se realizaram
os Jogos Olímpicos da Antiguidade (UNESCO)

  • Ilha de Delos (1990);
  • Mosteiros de Dafne, Hossios Luckas e Mosteiro Novo de Quios (1990);
  • Pitagorião e Heraião de Samos (1992);
  • Sítio Arqueológico de Vergina (1996);
  • Centro Histórico (Chora) com o Mosteiro de São João o Teólogo e a Caverna do Apocalipse na Ilha de Patmos (1999);
  • Sítios Arqueológicos de Micenas e Tirinto (1999);
  • Antiga Cidade de Corfu (2007).


Património Oral e Imaterial da Humanidade (UNESCO):

  • Dieta mediterrânica (2013) (partilhado com mais 6 países).


Fonte:
Wikipedia, a enciclopédia livre.

Sem comentários :

Enviar um comentário