Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

A Última Ceia na História e na Pintura Universal

"A Última Ceia", painel de azulejos na Igreja de São Mamede de Este, Braga, Portugal


A Última Ceia na História
A Última Ceia é o nome dado à última refeição que, de acordo com os cristãos, Jesus dividiu com os seus apóstolos em Jerusalém antes da sua crucificação. A Última Ceia é a base das sagradas escrituras para a instituição da Eucaristia, também conhecida como "Comunhão".

Nome e utilização - O termo "Última Ceia" não se encontra no Novo Testamento. No entanto, por tradição, muitos cristãos referem-se ao episódio da última refeição de Jesus por este termo. É provável que o evento seja o relato de uma última refeição de Jesus juntamente com os seus primeiros seguidores, tornando-se um ritual de lembrança.
     Os anglicanos e os presbiterianos utilizam o termo "Ceia do Senhor", defendendo que o termo "última" sugere que esta foi uma entre muitas ceias, e não "a ceia". A Igreja Ortodoxa utiliza ainda o termo "Ceia Mística", que se refere tanto ao episódio quanto à celebração eucarística dentro da liturgia.

"Última Ceia", meados do Séc. XVI, pintura de Teófanes, o Cretense (1490-1559), 
Mosteiro de Stavronikita, Monte Athos, Grécia.


Narrativa bíblicaA Última Ceia é relatada pelos quatro evangelhos canónicos: Mateus 26:17-30, Marcos 14:12-26, Lucas 22:7-39 e João 13:1 até João 17:26.
A Primeira Epístola aos Coríntios (I Coríntios 11:23-26) que, possivelmente,  foi escrita antes dos evangelhos, inclui uma referência ao episódio, mas enfatiza a sua base teológica sem fazer um relato detalhado do evento e do seu contexto.

"Última Ceia", entre 1304 e 1306, fresco do pintor italiano Giotto di Bondone (c.1266-1337), 
Capela de Scrovegni, Pádua, Itália.


Contexto, localização e dataA narrativa geral dos eventos que levaram à Última Ceia, partilhada pelos quatro evangelhos, é a de que, após a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, no início da semana (tradicionalmente chamado de "Domingo de Ramos") e o encontro, diversas pessoas e os anciãos judeus, Jesus e seus discípulos dividiram uma refeição mais para o final da semana. Depois dela, Jesus é traído, preso, julgado e crucificado.
Os eventos chave desta refeição são a preparação dos discípulos para a partida de Jesus, as previsões sobre a iminente traição e sobre a negação de Pedro e a instituição da Eucaristia.

Imagem do Cenáculo, em Jerusalém (foto de Marco Plassio, Wikimedia Comons)

O Cenáculo (do latim Cenaculum) é o termo usado para o sítio ou local onde ocorreu a Última Ceia, de acordo com os cristãos, e onde actualmente se encontra um grande templo, em Jerusalém, Israel. A palavra é um derivado da palavra latina “cena”, que significa "jantar".
     No Novo Testamento a data da Última Ceia é muito próxima da data da crucificação de Jesus (e daí o nome). Os estudiosos estimam que a crucificação tenha ocorrido por volta de 30–36 d.C..
O estudioso da Bíblia e físico britânico Colin Humphreys (n. 1941) descarta o ano 36 por razões astronómicas e apresenta outros argumentos para defender que a crucificação teria ocorrido na tarde de 3 de Abril de 33, dia 14 de Nisan no calendário oficial judaico daquele ano.
Em 2011 Humphreys afirmou no seu livro "O Mistério da Última Ceia" que a Última Ceia ocorreu na quarta-feira (Quarta-feira Santa), e não como tradicionalmente considerado, na quinta-feira (Quinta-feira Santa). As discrepâncias de tempo aparentes (Nisan 15 ou 14) entre os evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas contra o evangelho de João, estão enraizados no uso de diferentes calendários pelos escritores: o primeiro grupo usou um calendário judaico mais antigo enquanto no evangelho de João foi utilizado um calendário lunar. A Última Ceia, ao ser datada na quarta-feira, iria permitir mais tempo para o interrogatório e apresentação a Pilatos, antes da crucificação, do que o tempo dado na visão tradicional. Humphreys propôs que a data real para a Última Ceia deveria ser 1 de Abril de 33.

"A Última Ceia", 1325-28, tempera e ouro sobre madeira do pintor italiano Ugolino di Nerio (c.1280-1349), 
Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque, Estados Unidos.


Instituição da EucaristiaA Eucaristia, "que já era celebrada pelas primeiras comunidades cristãs em Jerusalém e por São Paulo na sua visita a Troas", foi instituída por Jesus (Actos 20:7). A instituição é relatada pelos evangelhos sinópticos e na epístola de Paulo aos coríntios. As palavras utilizadas possuem pequenas diferenças entre os três relatos, reflectindo duas tradições: uma, baseada em Marcos (que foi a base de Mateus, juntamente com a chamada fonte Q) e outra, paulina (base de Lucas). Além disso, Lucas 22:19-20 é um texto disputado por alguns, que não aparece nos primeiros manuscritos de Lucas. Alguns académicos acreditam que seja uma interpolação posterior, enquanto que outros argumentam que é o texto original.


"A Comunhão dos Apóstolos", 1440/41, Fra Angélico (1390-1455), 
Museu de São Marco, Convento de São Marco, Florença, Itália.


A Última Ceia na Pintura Universal
     Este tema foi amplamente retratado na cultura universal, tanto na escultura como na pintura e outras artes.
     Na Pintura Universal é quase interminável a lista de pintores que ilustraram o tema da Última Ceia.
Sem pretender ser demasiado exaustivo, na passagem desta Quinta-feira Santa destaco alguns pintores, associados por épocas ou correntes da História da Pintura Universal (a negro, os autores dos quadros aqui representados):


1. PINTURA MEDIEVAL
1a - Arte Bizantina (Séc. VI - Séc. XV):
Teófanes, o Cretense (1490-1559), grego.

1b - Pré-Renascimento (Séc. XI - Séc. XV):
Giotto di Bondone (c.1266-1337), italiano;
Agnolo Gaddi (1350-1396), italiano.



"Última Ceia", c.1412, óleo sobre madeira do pintor catalão Jaume Huguet (c.1412-1492), 
Museu Nacional de Arte da Catalunha, Barcelona, Espanha.



1c - Gótico (Séc XII - Séc. XVI):
"AÚltima Ceia", 1475-1480, óleo sobre painel do 
pintor alemão Mestre de Housebook, 
Museus Estatais de Berlim, Alemanha.
Ugolino di Nerio (c.1280-1349), italiano;
Pietro Lorenzetti (c.1280-1348), italiano;
Taddeo Gaddi (c.1300-1366), italiano;
Jaume Serra (?-c.1405), catalão;
Lorenzo Monaco (c.1370-1425), italiano;
Fra Angélico (1390-1455), italiano;
Stefano di Giovanni (1392-1450), italiano;
Mariotto di Nardo (1394-1424), italiano;
Dirk Bouts (c.1410/20-1475), flamengo;
Jaume Huguet (c.1412-1492), catalão;
Mestre de Housebook, alemão.


1d - Gótico Internacional (Séc. XIV - Séc. XV):
Duccio di Buoninsegna (1255-1319), italiano.



"AÚltima Ceia", 1445/1450, fresco do pintor italiano Andrea del Castagno (1421-1457), 
Convento de Santa Apolónia, Florença, Itália.


"Ultima Ceia", 1481/82, fresco do pintor italiano Cosimo Rosselli (1439-1507), Capela Sistina, Vaticano.



2a - Renascimento (Séc. XV - Séc. XVI):
Fra Angélico (1390-1455), italiano;

Dirk Bouts (c.1410/20-1475), flamengo;

"Última Ceia", 1501/1506, óleo sobre painel 
do pintor flamengo Francisco Henriques 
(?-1518), Políptico da Capela-mor da 
Sé de Viseu, Museu Nacional 
Grão Vasco, Viseu, Portugal.
Jaume Baçó Jacomart (1411-1461), espanhol;

Andrea del Castagno (1421-1457), italiano;

Cosimo Rosselli (1439-1507), italiano;

Francisco Henriques (?-1518), flamengo;

Luca Signorelli (1445-1523), italiano;

Pietro Perugino (c.1448-1523), italiano;

Domenico Ghirlandaio (1449-1494), italiano;

Leonardo da Vinci (1452-1519), italiano;

Albrecht Dürer (1471-1528), alemão;

Jörg Ratgeb (1480-1526), alemão;

Franciabigio (1482-1525), italiano;

Andrea del Sartro (1486-1530), italiano;

Hans Holbein, o Jovem (c.1497-1543), alemão;

Pieter Coecke van Aelst (1502-1556), belga;

Vicente Juan Masip (Juan de Juanes) (1507-1579), espanhol;

Jacopo Bassano (1510-1592), italiano;

Lucas Cranach, o Jovem (1515-1586), alemão;

Tintoretto (c.1518-1594), italiano;

"Última Ceia", 1480, fresco do pintor italiano Domenico Ghirlandaio (1449-1494), 
Igreja de Ognissanti (Todos-os-Santos), Florença, Itália.

Pieter Pourbus (1523-1584), flamengo;

Fray Nicolás Borrás (1530-1610), espanhol;

Dirck Barendsz (1534-1592), holandês;

El Greco (1541-1614), espanhol;

Alonso Vázquez (1564-1608), espanhol;

Frans Pourbus, o Jovem (1569-1622), flamengo.

"A Última Ceia", 1495/98, fresco do pintor italiano Leonardo da Vinci (1452-1519), 
Convento de Santa Maria delle Grazie, Milão, Itália.


"A Última Ceia", c. 1562, óleo sobre painel do pintor espanhol Vicente Juan Masip (Juan de Juanes) (1507-1579), 
Museu do Prado, Madrid, Espanha.


2b - Maneirismo (Séc. XVI - Séc XVII):
"Última Ceia", 1569, óleo sobre tela do pintor italiano 
Giovanni Battista Moroni (c.1520-1578), Igreja 
Paroquial de Santa Maria Assunta e S. Giacomo, 
Romano di Lombardia, Itália.
Tintoretto (c.1518-1594), italiano;
Giovanni Battista Moroni (c.1520-1578), italiano;
Paolo Veronese (1528-1588), italiano;
Benedetto Caliari (1538-1598), italiano;
Otto van Veen (c.1556-1629), flamengo;
Leandro Bassano (1557-1622), italiano;
Daniele Crespi (1590-1630), italiano.



2c - Academicismo (Séc. XVI - Séc. XIX):
Pascal Dagnan-Bouveret (1852-1929), francês.




2d - Barroco (Séc XVII - Séc. XVIII):
Peter Paul Rubens (1577-1640), flamengo;
Simon Vouet (1590-1649), francês;
Valentin de Boulogne (1591-1632), francês;
Daniele Crespi (1598-1630), italiano;
Philippe de Champaigne (1602-1674), francês;
Gerbrand van den Eeckhout (1621-1674), holandês;
Giovanni Battista Tiepolo (1696-1770), italiano.


2e - Rococó (Séc XVIII - Séc. XIX):
Francesco Fontebasso (1707-1769), italiano;
Franz Anton Maulbertsch (1724-1796), austríaco.


"Última Ceia", c.1590, pintura de Daniele Crespi (1590-1630), 
Pinacoteca de Brera, Milão, Itália.


"A Última Ceia", do pintor francês Pascal Dagnan-Bouveret (1852-1929), 
Abadia de Saint-Vaast, Museu de Belas Artes de Arras, França.

"A Última Ceia", 1631-32, óleo sobre tela do pintor flamengo Peter Paul Rubens (1577-1640), 
Pinacoteca de Brera, Milão, Itália.

"Última Ceia", c.1750, óleo sobre tela do pintor italiano Giovanni Battista Tiepolo (1696-1770), 
Museu Nacional de Varsóvia, Polónia.

"A Última Ceia", 1762, óleo sobre tela do pintor italiano Francesco Fontebasso (1707-1769), 
Museu Nacional do Hermitage, São Petersburgo, Rússia.


3. PINTURA CONTEMPORÂNEA
3a - Pintura Histórica:
Carl Heinrich Block (1834-1890), dinamarquês.

3b - Vanguardismo (1905-1960):
Salvador Dali (1904-1989), espanhol.

"O Sacramento da Última Ceia", 1955, óleo sobre tela do pintor espanhol Salvador Dali (1904-1989), 
National Gallery of Art, Washington D.C., Estados Unidos.


OUTROS:
  1. Códice Bíblico: Codex Purpureus Rossanensis (Séc. VI), Manuscrito Iluminado Bizantino, Museu Diocesano, Rossano, Itália;
  2. Mestres Italo-Bizantinos da Abadia de Sant'Angelo in Formis, Capua, Itália.



"Última Ceia", Séc. VI, Codex Purpureus Rossanensis, Manuscrito Iluminado Bizantino, 
Museu Diocesano, Rossano, Itália;


"A Última Ceia", c.1100, fresco dos Mestres Italo-Bizantinos, 
Abadia de Sant'Angelo in Formis, Capua, Itália;


Arte russa:
Simon Ushakov (1626-1686), russo.


"A Última Ceia", 1685, ícone do pintor russo Simon Ushakov (1626-1686), 
Museu de História de Arte de Sergiev Posad, São Petersburgo, Rússia.

Sem comentários :

Enviar um comentário