Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Arábia Saudita

المملكة العربية السعودية

(Al-Mamlaka al-`Arabiyya as-Sa`ūdiyya)

Reino da Arábia Saudita


Bandeira
Brasão de Armas










Localização:
Ásia, Sudoeste Asiático, Médio Oriente, Península Arábica, Golfo Pérsico.


Origem / Pequeno resumo histórico:
     Muitos povos têm vivido na Península Arábica ao longo de mais de cinco mil anos.
A cultura Dilmun, que se estabeleceu na costa do Golfo, era contemporânea dos Sumérios e dos antigos Egípcios, e a maior parte dos impérios do mundo antigo estabeleceu trocas comerciais com os estados da Península Arábica.
     A fundação do Islão por Maomé no ano de 620 e a subsequente importância religiosa das cidades árabes de Meca  (também conhecida como Makkah) e Medina concederam aos governantes desse território considerável influência para além da península.
     O Estado Saudita surge na Arábia Central em 1744. Um chefe local, Muhammad Bin Saud, uniu forças a um resgatador dos fundamentos do Islão,  Muhammad Abd Al- Wahhab, para criar uma nova entidade política. O Reino da Arábia Saudita foi fundado por Abd al-Aziz Al Saud (conhecido pela maior parte de sua carreira como Ibn Saud) em 1932, embora as conquistas que levaram à criação do Reino tenham começado em 1902, quando ele capturou Riade, a casa ancestral de sua família, a Casa de Saud, conhecido em árabe como Al Saud.
     Continuando estas conquistas, Abdul Aziz subjugou Al Hasa, o resto do Nejd e do Hijaz entre 1913 e 1926. A 8 de Janeiro de 1926 Abdul Aziz Ibn Saud torna-se Rei do Hijaz.
A 29 de Janeiro de 1927 tomou o título de Rei do Nejd (seu título Nejdi anterior era de Sultão). Pelo Tratado de Jidá, assinado a 20 de Maio de 1927, o Reino Unido reconheceu a independência do reino de Abdul Aziz (então conhecido como Reino de Hijaz e Nejd). Em 1932, estas regiões foram unificadas como o Reino da Arábia Saudita. A descoberta de petróleo, em 3 de Março de 1938, transformou o país.
     Em 1990-91, o Rei Fahd desempenhou um papel-chave antes e durante a Guerra do Golfo: a Arábia Saudita acolheu a família real kuwaitiana, além de 400 000 refugiados, e ao mesmo tempo permitiu a entrada de tropas ocidentais e árabes em seu território para a libertação do Kuwait no ano seguinte.
     Quando o então Rei Fahd sofreu um enfarte em Novembro de 1995, o seu sucessor, então Príncipe Herdeiro Abdallah, assumiu muitas das responsabilidades rotineiras da condução do governo. Com a morte do Rei Fahd, em 1 de Agosto de 2005, Abdallah sucedeu-lhe, convertendo-se no actual rei do país.

Imagens de Meca


     O Reino é às vezes chamado de "A Terra das Duas Mesquitas Sagradas", em referência a Meca e a Medina, os dois lugares mais sagrados do Islão. As duas mesquitas são Al Masjid Al-Haram e Al Masjid Al-Nabawi. (ver imagens)
     

Imagem de Medina


     A Arábia Saudita é o maior exportador de petróleo do mundo,  sendo a principal potência económica de todo o Mundo Árabe. O petróleo representa mais de 90 por cento das exportações e quase 75 por cento das receitas do governo, facilitando a criação de um Estado de bem-estar social, que o governo tem encontrado dificuldades para financiar durante os períodos de baixos preços do petróleo.


Cultura:
     A cultura da Arábia Saudita assenta, praticamente, nas tradições da religião islâmica, que é predominante. Na Arábia Saudita ficam dois dos locais mais sagrados do Islão, os quais se consideram os berços da religião, as cidades de Meca e Medina, visitadas por peregrinos do mundo inteiro durante a cerimónia do Hajj.
O Islão é uma religião monoteísta, cujo livro sagrado é o Alcorão.
     Um dos rituais populares mais famosos da Arábia Saudita é o Ardha, a dança nacional. Esta dança da espada baseia-se nas antigas tradições beduínas: os tambores ecoam em uníssono acompanhando a voz de um poeta que canta em verso, enquanto homens de espada em punho dançam lado a lado.
     Gastronomia - A gastronomia local é bastante condimentada. As carnes mais comuns são o frango e o carneiro, sendo a carne suína proibida por lei, segundo a Sharia. As comidas mais comuns são o arroz, as lentilhas, homus (pasta de grão-de-bico), kultra (espetadas de frango ou carneiro), kebab (servido com sopa e legumes), mezze (entradas variadas) e muhalabia (pudim de arroz). O álcool é proibido no país.


Principais recursos naturais:
Petróleo, gás natural, minério de ferro, ouro e cobre.


Dia Nacional:
23 de Setembro (comemora a unificação dos reinos Nejd e Hejaz, em 1932)



Símbolos Nacionais:
Bandeira Nacional;
Brasão de Armas;
Hino Nacional (Aash Al Maleek - "Vida Longa ao Rei");
Insígnia da Força Aérea da Arábia Saudita.

Insígnia da Força Aérea
da Arábia Saudita
Insígnia de baixa visibilidade da
Força Aérea da Arábia Saudita



Lema:
"Não há outra divindade além de Alá, e Maomé é o seu profeta." (Chahada - لشهادة, "testemunho")


Vista parcial de Riade, capital da Arábia Saudita


Capital:                                                                           Língua oficial:
Riade                                                                              Árabe


Moeda oficial:                                                                Tipo de Governo:
Riyal                                                                                Monarquia Absoluta Islâmica


Data de entrada como membro da ONU (Organização das Nações Unidas):
24 de Outubro de 1945


Organizações / Relações Internacionais:
  • ONU - Organização das Nações Unidas;
  • LEA - Liga dos Estados Árabes;
  • BM - Banco Mundial;
  • G-20 (países industriais, maiores economias);
  • FMI - Fundo Monetário Internacional;
  • OPEP - Organização dos Países Exportadores de Petróleo;
  • OPAEP - Organização dos Países Árabes Exportadores de Petróleo;
  • AALCO - Associação Jurídica Consultiva Afro-Asiática;
  • CCG - Conselho de Cooperação do Golfo;
  • MNA - Movimento dos Países Não-Alinhados;
  • OCI - Organização da Conferência Islâmica;
  • FMA - Fundo Monetário Árabe;
  • COI - Comité Olímpico Internacional;
  • Grupo dos 77 - Nações em desenvolvimento;
  • IPU - União Inter-Parlamentar;
  • IRU - União Internacional de Transportes Rodoviários;
  • UIC - União Internacional dos Caminhos-de-Ferro;
  • IHO - Organização Hidrográfica Internacional;
  • ICDO - Organização Internacional de Protecção Civil;
  • INTERPOL - Organização Internacional de Polícia Criminal;
  • MIGA - Agência Multilateral de Garantia de Investimentos;
  • OIM - Organização Internacional para as Migrações (membro observador);
  • OMC - Organização Mundial do Comércio;
  • OPCW - Organização para a Proibição de Armas Químicas;
  • PCA - Tribunal Permanente de Arbitragem;
  • WCO - Organização Mundial das Alfândegas;
  • PSIWMD - Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas de Destruição Maciça;
  • IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais;
  • UNIDROIT - Instituto Internacional para a Unificação do Direito Privado;
  • WIPO - Organização Mundial da Propriedade Intelectual.


Património Mundial da UNESCO:
  • Sítio arqueológico de Al-Hijr (2008);
  • Distrito de At-Turaif, em ad-Dir’iyah (2010);

ad-Dir’iyah: Palácio Saad ibn Saud (Património da UNESCO)


  • Centro Histórico de Yeda, Porta de Meca (2014).


Centro Histórico de Yeda (UNESCO)



Património Cultural e Imaterial da Humanidade (UNESCO):
  • A Falcoaria, um Património Humano Vivo (2011, 2012) - Partilhado com Áustria, Bélgica, Qatar, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Espanha, França, Hungria, Marrocos, Mongólia , República Checa e Síria.
Falcoaria (UNESCO)

Fonte:
Wikipédia, a enciclopédia livre.