Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Dassault-Breguet / Dornier Alpha Jet (segunda parte)

Ver  Dassault-Breguet / Dornier Alpha Jet (primeira parte)

(continuação)

Imagem 4


Percurso em Portugal:
     Os 50 Alpha Jet da Força Aérea Portuguesa (FAP) foram fornecidos pela Força Aérea Alemã, provenientes das Bases de Furstenfeldbruck e Oldenburg. Foram recebidos de uma forma faseada, processo que decorreu entre 13 de Setembro e 10 de Dezembro de 1993.
     Em 16 de Dezembro de 1993 realizou-se a entrega oficial dos Alpha Jet à FAP, com a presença dos Ministros da Defesa de Portugal e Alemanha, em cerimónia realizada na Base Aérea Nº 11 (BA11), Beja, em cuja placa de estacionamento se encontravam alinhados as 50 aeronaves. Desta frota, apenas 40 aviões foram definidos para voar, sendo os restantes 10 células para fornecer peças sobressalentes.
     Os Alpha Jet foram mantidos na BA11, onde constituíram duas esquadras: a Esquadra 103 (de instrução) e a Esquadra 301 (de ataque).

Imagem 5: Emblema da
Esquadra 103


     A Esquadra 103 foi transferida da Base Aérea Nº 5 (BA5), Monte Real, para a BA11 em Janeiro de 1987, então equipada com os Lockheed T-33 e os Northrop T-38, sendo os primeiros desactivados em 1990 e os segundos em Junho de 1993.
     A Esquadra 103 começou a operar com os Alpha Jet a partir de Outubro de 1993, passando a ter como missão a instrução complementar de pilotagem em aviões de combate e conversão operacional, que assentam essencialmente em cinco cursos:
- Curso de Instrução Complementar de Pilotagem em Aviões de Combate;
- Programa de Qualificação no Avião;
- Programa de Conversão Operacional;
- Programa de Adaptação ao Avião;
- Curso de Instrutores de Combate.
     A Esquadra 103 cultiva o espírito e a tradição da primeira esquadra a utilizar os T-33 T-Bird, a Esquadra de Instrução Complementar de Pilotagem em Aviões de Caça (EICPAC), formada na Base Aérea Nº 2 (BA2), Ota, em 1955. Mantém o distintivo da antecessora, um caracol usando um capacete de voo como casca, com o lema «…Se vai ao longe».
Imagem 6: Emblema da
Esquadra 301

     Quanto à Esquadra 301, esteve colocada na Base Aérea Nº 6 (BA6), Montijo, até Junho de 1993, operando os Fiat G-91. É a herdeira do espírito da Esquadra 502, do Aeródromo-Base Nº 5, Nacala, que operou os Fiat G-91 em Moçambique, da qual mantém o distintivo - a cabeça de um jaguar - com o lema «De nada a forte gente se temia» e o nome «Jaguares».
     A partir da sua transferência para a BA11, a Esquadra 301 empenhou-se na preparação para o cabal desempenho da missão atribuída, o apoio aéreo ofensivo.
     Foi no dia 6 de Outubro de 1993 que se realizou o primeiro voo de um Alpha Jet com a insígnia da Cruz de Cristo, pertencente à Esquadra 301, que é a representante portuguesa nos NATO Tiger Meet, a reunião anual das esquadras de apoio táctico atribuídas à NATO que têm o tigre como símbolo comum.

Imagem 7: Patch dos
Alpha Jet da Esquadra 301

     Desde a sua chegada a Portugal que os Alpha Jet têm sido sujeitos a diversos melhoramentos, no sentido de os dotar de equipamento electrónico moderno que lhes permita actuar com o máximo de eficiência.
     A FAP atribuiu-lhes as matrículas de 15201 a 15250, inaugurando o sistema de matrículas implementado em 1993. A correspondência entre as matrículas da FAP e os números de construção, que se indicam entre parêntesis, é a seguinte:
15201 (4-004), 15202 (4-006), 15203 (4-008), 15204 (4-015), 15205 (4-021), 15206 (4-025), 15207 (4-028), 15208 (4-030), 15209 (4-032), 15210 (4-033), 15211 (4-037), 15212 (4-039), 15213 (4-041), 15214 (4-045), 15215 (4-047), 15216 (4-048), 15217 (4-053), 15218 (4-060), 15219 (4-062), 15220 (4-064), 15221 (4-066), 15222 (4-067), 15223 (4-071), 15224 (4-073), 15225 (4-075), 15226 (4-080), 15227 (4-084), 15228 (4-086), 15229 (4-091), 15230 (4-092), 15231 (4-096), 15232 (4-097), 15233 (4-099), 15234 (4-100), 15235 (4-101), 15236 (4-103), 15237 (4-108), 15238 (4-110), 15239 (4-113), 15240 (4-117), 15241 (4-118), 15242 (4-122), 15243 (4-123), 15244 (4-127), 15245 (4-131), 15246 (4-133), 15247 (4-144), 15248 (4-146), 15249 (4-152) e 15250 (4-170).

Imagem 8

     Os Alpha Jet foram recebidos com dois tipos de pintura camuflada. Uns, com as superfícies superiores em verde-azeitona e cinzento escuro, separadas por rectas quebradas, e as superfícies inferiores em cinzento claro, e outros inteiramente em dois tons de verde-azeitona, com as linhas de contacto irregulares.
     Estas pinturas foram mantidas enquanto se procedeu à uniformização segundo o padrão da FAP, inteiramente camuflados (wrap-around) em castanho (FS 30.129) e dois tons de verde (FS 34.079 e FS 34.102).
     A Cruz de Cristo, em dimensões reduzidas, sobre círculo branco, está colocado nos lados da fuselagem. A bandeira nacional, sem escudo, colocada em ambos os lados do estabilizador vertical. Os números da matrícula encontram-se sobre a bandeira nacional, em algarismos pretos.

     Ao serviço da Esquadra 301 - “Jaguares” - os Alpha-Jet atingiram, em 5 de Setembro de 2005, a marca das 20.000 horas de voo. Em 20 Novembro de 2005 os "Jaguares" realizam o último voo operacional, com mais de 20.000 horas de voo em missões de apoio aéreo próximo, interdição do campo de batalha e reconhecimento aéreo táctico.

     No final de 2005 os Alpha-Jet foram substituídos na missão de apoio aéreo ofensivo pelos novos aviões General Dynamics F-16 que integraram a Esquadra 301, que foi transferida para a Base Aérea Nº 5 (BA5), em Monte Real.

Imagem 9

     Actualmente conta com seis aviões atribuídos à Esquadra 103, limitados às funções de instrução. Em 19 de Setembro de 2012, a frota de Alpha Jet operada pela Esquadra 103 atingiu a marca das 50.000 horas de voo ao serviço da FAP.

(continua)



Fontes (segunda parte):