Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Dia de Hangul (Coreia do Norte)





Dia de Hangul — também chamado Dia da Proclamação de Hangul ou Dia do Alfabeto Coreano — é uma festividade nacional coreana que assinala a invenção e proclamação do Hangul, o alfabeto da língua coreana, pelo Rei Sejong, o Grande. Comemora-se no dia 15 de Janeiro na Coreia do Norte.



O que é o Hangul:
     Hangul ou hangeul (em romanização recente) (em coreano: 한글) é o nome que se dá ao alfabeto silábico utilizado na escrita da língua coreana. Cada bloco silábico do hangul consiste, no mínimo, de duas e, no máximo, de cinco entre 24 letras (jamo), das quais 14 são consoantes e dez são vogais.


Caracteres Hangul


História:
     A escrita hangul (한글), foi introduzida em 1446 pelo Rei Sejong, o Grande, o quarto rei da Dinastia Choson, em substituição aos ideogramas chineses ("Hanja") (한자, 漢字) usados na Coreia até ao Século XV. 
Credita-se frequentemente a criação do sistema de escrita à Academia Real (Jiphyeonjeon, 집현전).


     O projecto foi completado no fim de Dezembro de 1443 ou Janeiro de 1444, e descrito em 1446 num documento intitulado Hunmin Jeong-eum ("Os sons apropriados para a educação do povo"), que deu o nome ao alfabeto em si. (fonte: The National Academy of the Korean Language).

     A data da publicação do Hunmin Jeong-eum, 9 de Outubro, tornou-se o Dia de Hangul na República da Coreia.
     A Coreia do Norte celebra o mesmo evento no dia 15 de Janeiro.




Texto com caracteres Hangul

     Várias especulações sobre o processo de criação do Hangul foram descartadas em 1940, com a descoberta do Hunmin Jeong-eum Haerye ("Explicações e Exemplos do Hunmin Jeong-eum"). Este documento, datado de 1446, explica o desenho das consoantes de acordo com a fonética articulatória e as vogais de acordo com os princípios do yin e yang e da harmonia de vogais.
     Ao explicar a necessidade de um novo sistema de escrita, o Rei Sejong alega que a língua coreana era fundamentalmente diferente da chinesa; o uso de caracteres chineses (conhecidos como hanja) para escrever em coreano era tão difícil para a população em geral que apenas uma elite privilegiada (yangban, 양반), normalmente formada por homens, era capaz de ler e escrever fluentemente. A maioria dos coreanos eram analfabetos antes da invenção do Hangul.




Fonte: