Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lockheed Martin P-3C CUP +


Imagem 1: Lockheed P-3C CUP +


LOCKHEED MARTIN P-3C CUP +

Quantidade: 5
Utilizador: Força Aérea
Entrada ao serviço: 6 de Outubro de 2010
Data de abate: Em serviço



Dados técnicos:

a)       Tipo de Aeronave
Avião quadrimotor turbohélice terrestre, de trem de aterragem triciclo retráctil, monoplano de asa baixa, revestimento metálico, cabina integrada na fuselagem, destinado a missões de patrulhamento marítimo, luta naval e luta anti-submarino.
Tripulação (depende do tipo de missão): 11 a 13 tripulantes (piloto, co-piloto, mecânico de voo, coordenador táctico, navegador, operador de comunicações, dois operadores de sensores acústicos, especialista de armamento, 2º mecânico, dois operadores de radar e um técnico de voo).
b)       Construtor
Lockheed Aircraft Company / USA.
Sob licença: Kawasaki Heavy Industries / Japão.
c)       Motopropulsor
Motores: 4 motores Allison T56-A-14, turbo propulsores, de 4.910 hp cada.
Hélices: Metálicos, de quatro pás, de passo variável, reversível e posição de bandeira.
d)       Dimensões
                Envergadura …………...........30,4 m
                Comprimento…..…………....35,61 m
                Altura………….……………..10,30 m
                Diâmetro da fuselagem ……….3,45 m
                Diâmetro da hélice…………….4,11 m
                Área alar ……….……............120,77 m²
e)       Pesos
                Peso vazio……………..…….27.890 kg
                Peso máximo……………….64.410 kg
f)        Performances
                Velocidade máxima ……….761 Km/h
                Velocidade de cruzeiro …….607 Km/h
                Velocidade de patrulha……...381 Km/h
                Tecto de serviço …………8.900 m
                Raio de acção ……….....…3.830 Km
                Autonomia (2 motores)...........17 horas e 12 minutos
                Autonomia (4 motores)………12 horas e 20 minutos
                Combustível………………….34.822 L
g)      Armamento
Diverso, até cerca de 9.000 Kg de carga interna e externa, com várias combinações de armamento (torpedos, cargas de profundidade, minas, mísseis e foguetes).
h)      Capacidade de transporte
11 a 13 tripulantes em missão de serviço.



Ver Resumo histórico em Lockheed P-3P Orion


Imagem 2


Percurso em Portugal:

     Os antecessores do Lockheed Martin, os P-3P Orion, foram adquiridos em segunda mão. Sabia-se que o seu potencial de vida se iria esgotar, de forma sequencial, entre 2004 e 2011. Por este motivo, a FAP iniciou em 1999 o processo de avaliação da necessidade de manutenção da capacidade de patrulhamento marítimo e das alternativas que se colocavam à modernização ou substituição da frota de P-3P.
     A solução que merecia maior consenso contemplava a modernização das aeronaves P-3P. O respectivo programa de modernização, designado por LECIP (Life Extension and Capabilities Improvement Program), chegou a ser incluído na Lei de Programação Militar, mas, devido a inúmeros impedimentos negociais, contratuais e financeiros, foi sendo sucessivamente adiado.
     Em 2004, após se ter tornado público a intenção da Holanda de vender a sua frota de 13 P-3C, Portugal estuda a hipótese de abandonar o programa LECIP e optar pela compra de uma parte dessas aeronaves.

     Através da assinatura de uma carta de intenções, em 17 de Setembro de 2004 e acordo final em 21 de Fevereiro de 2005, Portugal decide comprar 5 aeronaves holandesas: duas na versão P-3C CUP (Capabilities Upkeeping Program) e três na versão original, P-3C Update II½.
     A primeira aeronave CUP, versão Coast Guard, foi entregue à FAP em 19 de Janeiro de 2006 nas instalações da Lockheed em Greenville (USA), proveniente da Marinha Real Holandesa.  As restantes aeronaves foram entregues à Esquadra 601 até meados de 2007.
     Em 2007 foi celebrado com a companhia norte-americana Lockheed Martin um programa de modernização, designado P-3C/CUP+, destinado a colocar as cinco aeronaves com a mesma configuração táctica e, simultaneamente, a introduzir alguns requisitos considerados essenciais para Portugal, que não estavam incluídos no programa CUP holandês.

Imagem 3

     Em 26 de Agosto de 2010 foi entregue o primeiro P-3C/CUP+ à Esquadra 601, cuja cerimónia oficial de apresentação decorreu no dia 6 de Outubro do mesmo ano na Base Aérea nº 11 (BA11), Beja. Esta primeira aeronave tem o número de matrícula 14810.
     O P-3C CUP+ iniciou a sua operação a 1 de Janeiro de 2011, tendo efectuado o seu "Baptismo de Fogo" na Operação "Ocean Shield" ao serviço da NATO no Oceano Índico, em missões de combate à pirataria, com excelentes resultados e uma prontidão de 100%.

A segunda aeronave foi entregue em Fevereiro de 2011.
     Em 10 de Outubro de 2012 aterrou na BA11 o quinto P-3C/CUP+  (número 14808).


Imagem 4: Brasão da Base Aérea nº 11
(BA11)





          Imagem 5: Emblema da
          Esquadra 601, original.


















Imagem 6: Emblema da
Esquadra 601, definitivo.
     A frota de cinco P-3C CUP+ ficou sediada na Esquadra 601 - "Lobos"- integrada na BA11. Receberam os números de matrícula de 14807 a 14811. As correspondências entre estes, os números de construção e as datas de fabrico, são as seguintes:
  • Matrícula 14807, número de construção 5733, data de fabrico: 5 de Novembro de 1981;
  • 14808, 5750, 7 de Outubro de 1982;
  • 14809, 5158, 2 de Maio de 1983;
  • 14810, 5762, 13 de Agosto de 1983;
  • 14811, 5773, 8 de Abril de 1984.

    As principais diferenças (em relação ao antigo P-3P Orion) na fuselagem passam pela cauda, que acolhe o equipamento MAD, as hélices, o nariz de maiores dimensões para acolher a antena de radar, a ausência das janelas e a fuselagem mais curta em 2,13 metros.

     A plataforma P-3C CUP+, dotada com sensores modernos e um sistema de missão integrado, permite a realização de um largo espectro de missões em ambiente marítimo, que vão desde o patrulhamento à busca e salvamento, passando pela ISR (Intelligence, Surveillance and Reconaissance).
     O P-3C CUP+ mantém todas as capacidades de patrulhamento marítimo herdadas do P-3P, nomeadamente Luta Anti-Submarina (ASW), Luta Anti-Superfície (ASuW), e Busca e Salvamento (SAR). Além disso, um conjunto de sensores modernos associados a um sistema táctico de missão, completamente integrado, capacita o P-3C CUP+ a operar também em diversas missões em ambiente terrestre. Ficou também equipado com um sistema de auto-protecção MLWS (Missile and Laser Warning System), que permite a detecção de ameaças e o disparo de contra medidas.

Imagem 8


     Em relação ao seu antecessor, o P-3C CUP+ apresenta melhorias importantes ao nível da transmissão de dados em tempo real (sistema link 16), mais seguro e compatível com outras aeronaves e vasos de superfície, bem como novo radar (ELTA 2022 Alpha V3), novo computador, novos sensores acústicos (AN/USQ-78B) e ópticos (L-3 Wescam MX15 HDi), entre outros. Estas melhorias tornam os P-3C CUP+ numa das frotas mais avançadas do mundo e permitem desempenhar com qualidade funções de vigilância marítima no âmbito de actividades de pesca, poluição marítima, actividades ilícitas e tráfego marítimo, operações de busca e salvamento, guerra anti-superfície, guerra anti-submarina, guerra anti-minas, apoio a forças de reacção rápida, apoio a operações anfíbias, apoio a operações especiais e ataque de precisão contra alvos terrestres (novidade em relação à versão P-3P).
     O P-3 é ainda a aeronave da FAP com maior autonomia, podendo realizar facilmente missões de 12 horas. É simultaneamente um dos aviões operacionais propulsionado por hélices mais rápido, chegando aos 760 km/h.

     O P-3C CUP+ tem a capacidade de lançar o seguinte armamento: AGM-84 HARPOON, AGM-65F/G MAVERICK, Torpedo MK-46 A(s), Bombas MK-82/83/84 e Minas MK 36.


Imagem 8: Pintura comemorativa dos 25 anos da Esq. 601




Imagem 9: Patch dos 25 anos da Esq. 601



Em Março de 2011 a Esquadra 601 comemorou os seus 25 anos de existência.


     Em Abril de 2014, a Esquadra 601 - "Lobos" qualificou mais um Piloto Comandante (PC). O que, sendo sempre um momento especial, ainda o foi mais por se tratar da primeira PC feminina da aeronave P-3C Cup+.

     O P-3C CUP+ apresenta-se totalmente pintado num esquema de cor cinzento claro, denominado Light Gull Gray (FS 16440). A Cruz de Cristo, sobre círculo branco, encontra-se pintada em ambos os lados da fuselagem, no seguimento do bordo de fuga das asas, no extra-dorso da asa esquerda e no intradorso da asa direita. As cores da bandeira nacional, sem escudo, encontra-se em cada um dos lados da cauda. O número de matrícula, a preto, situa-se nas asas, alternando com a Cruz de Cristo e em cada um dos lados da cauda, por cima da bandeira nacional.

Imagem 10

     A Esquadra 601 está colocada na Base Aérea nº 11, em Beja, desde o dia 19 de Fevereiro de 2008. Conta com cerca de 100 militares responsáveis pelo cumprimento das várias missões atribuídas aos "Lobos", com a garantia de que continuarão a honrar o lema:

"Ser-lhe-á todo o oceano obediente"



Fontes:
Imagens 1, 3, 4, 7, 8, 9 e 10: Cortesia de EMFA - Estado Maior da Força Aérea Portuguesa;
Imagem 2: Cortesia de Spotter jpa no ar;
Imagens 5 e 6: Colecção Altimagem.

Texto:
Cortesia de EMFA - Estado Maior da Força Aérea Portuguesa;
Cortesia de Esquadra 601 "Lobos";
Cortesia de MAIS ALTO - Revista da Força Aérea Portuguesa, números 397 e 400, de Maio/Junho e Novembro/Dezembro de 2012, respectivamente.